Abates de bovinos no Maranhão cai 7,6% no segundo trimestre, segundo pesquisa do IBGE

0
111

No segundo trimestre deste ano, as principais atividades da pecuária cresceram em relação ao mesmo período de 2018: houve altas no abate de bovinos (3,5%), de suínos (5,2%) e o de frangos (3,4%), bem como na aquisição de leite (6,9%) e de couro (1%). Segundo números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 3,5% superior à obtida no ano passado 2018.

O abate de 268,55 mil cabeças de bovinos a mais no 2º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, foi impulsionado por altas em 17 das 27 Unidades da Federação (UFs) (leia Giro Econômico).

Segundo o IBGE, as maiores variações positivas foram nos estados do Mato Grosso (257,03 mil), Mato Grosso do Sul (99,22 mil), São Paulo (45,03 mil), Rondônia (28,18 mil), Santa Catarina (12,63 mil) e Bahia (6,43 mil). As maiores quedas foram em Goiás (-73,78 mil), Rio Grande do Sul (-64,30 mil), Pará (-63,68 mil) e Maranhão (-13,97 mil).

No ranking das UFs, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,8% do total nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,4%) e São Paulo (10,1%).

Suínos – No segundo trimestre de 2019 foram abatidas 11,39 milhões de cabeças de suínos, representando aumentos de 5,2% em relação ao mesmo período de 2018 e de 0,9% na comparação com o 1° trimestre de 2019. Foi o melhor 2° trimestre da série histórica iniciada em 1997, fortalecido por desempenho recorde para meses de abril e maio. Já a queda de 12,1% registrada em junho de 2019 em relação a 2018 deveu-se aos efeitos da greve dos caminhoneiros deflagrada em maio de 2018, que postergou para o mês seguinte parte da produção não realizada.

O abate de 560,38 mil cabeças de suínos a mais no 2º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, foi impulsionado por aumentos em 20 das 25 UFs participantes da pesquisa. Entre os Estados com participação acima de 1%, ocorreram aumentos em: Santa Catarina (+199,00 mil cabeças), Rio Grande do Sul (+118,62 mil cabeças), São Paulo (+79,90 mil cabeças), Mato Grosso (+61,92 mil cabeças), Minas Gerais (+48,04 mil cabeças), Paraná (+37,39 mil cabeças) e Goiás (+17,28 mil cabeças). A redução ocorreu em Mato Grosso do Sul (-9,29 mil cabeças).

No ranking das UFs, Santa Catarina continua liderando o abate de suínos, com 26,8% da participação nacional, seguido por Paraná (20,0%) e Rio Grande do Sul (18,5%).

(Com informações do IBGE)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui