Maranhão e Amapá são os últimos a aderir à GLO de combate a queimadas em florestas

0
197

O governador do Amapá, Waldez Góes, que é presidente do Consórcio da Amazônia Legal, oficializou nesta segunda-feira (26) a adesão do seu estado ao decreto presidencial de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que prevê o uso das Forças Armadas em ações preventivas contra queimadas e desmatamentos ilegais. Com esta adesão, apenas o Maranhão ainda está de fora, mas mesmo assim o governador Flávio Dino (PCdoB) determinou parceria entre Corpo de Bombeiros e Exército para ações de combate a incêndios.

De acordo com o ofício de adesão do Amapá, as Forças Armadas devem atuar em ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais e levantamento e combate a focos de incêndio.

“Em que pese o Amapá não estar enfrentando situação crítica de queimadas e desmatamentos ilegais, precisamos atuar de forma preventiva, principalmente porque o período de seca começa a se intensificar em toda a região, deixando o terreno propenso para queimadas. As ações preventivas evitarão danos irreparáveis ao nosso patrimônio ambiental. O Amapá, assim como outros estados da Amazônia Legal, sofre com a insuficiência de meios financeiros, humanos e materiais para combater queimadas, por isso, ações preventivas se fazem necessárias”, destaca o ofício enviado à Presidência da República.

O presidente Jair Bolsonaro autorizou o emprego de militares em uma operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para combater as queimadas na região da floresta. O decreto prevê o uso de Forças Armadas até o dia 24 de setembro. Além das ações preventivas, o decreto também prevê o uso da força, no caso de situações em que haja risco para a integridade da população e o funcionamento das instituições.

Cooperação – Desde o último sábado (24), o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBBMA) capacita 150 integrantes do Exército Brasileiro. O trabalho faz parte de cooperação entre o Governo Federal e o Governo Estadual para a garantia da lei e da ordem constitucional no combate a focos de incêndio e desmatamento ilegal no Maranhão.

Bombeiros e Exército também trabalham conjuntamente na sala de situação, instalada na manhã desta segunda-feira (26), para o monitoramento dos focos de queimadas em todo o estado.Desde o último sábado (24), o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBBMA) capacita 150 integrantes do Exército Brasileiro. O trabalho faz parte de cooperação entre o Governo Federal e o Governo Estadual para a garantia da lei e da ordem constitucional no combate a focos de incêndio e desmatamento ilegal no Maranhão.

O próximo passo da cooperação é o sobrevoo nas áreas onde foram registrados os maiores focos de incêndio no estado. O Batalhão de Policiamento Ambiental, da Polícia Militar, também integra a ação, que irá ocorrer na manhã de terça-feira (27).

Nesta terça-feira (27), o governador Flávio Dino participa em Brasília de agenda com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e os demais governadores da Amazônia Legal, para tratar sobre a grande incidência de queimadas na região.

(Com informações dos governos do Amapá e do Maranhão)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui