Deputada do PCdoB mostra como se opera a corrupção na Saúde

0
1156

A deputada Ana do Gás (PCdoB) colocou o seu partido; o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula; e o governador Flávio Dino, numa situação constrangedora, pois no momento em que os esforços do Palácio dos Leões são para desmoralizar a Polícia Federal pelo resultado da Operação Pegadores, pela qual são investigados desvios de dinheiro na Saúde, ela é flagrada tentando tirar proveito pessoal desse esquema de corrupção.

Num vídeo gravado com o conhecimento da parlamentar, ela pressiona a diretora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Vitória, Camila Maia, a manter uma irmã sua na folha de pagamento, mesmo não comparecendo ao trabalho. No diálogo, Ana do Gás alerta a servidora que esta pode ter os seus protegidos também revelados, caso insista em não atender o seu pedido, ou seja, dá a entender que os problemas são maiores do que os revelados pela PF.

A servidora, no entanto, reage às ameaças da deputada comunista, que diz que irá levar o nome de sua protegida ao secretário Carlos Lula e que este iria mandar um documento a ela, autorizando manter a pessoa que ela indicou na folha, sem trabalhar.

“Eu não vou me corromper, eu não vou me corromper. Eu não vou assinar uma folha de uma pessoa que não comparece. Depois que eu comecei a assumir, foi que você vem, você faz o seu horário das 8h às 11h. Depois que o ponto apareceu, foi que ele fica até 12h. E conversou comigo, Camila eu não tenho condições…”, disse ela

Ao fazer a ameaça à servidora da UPA, Ana Gás dá a entender que o esquema revelado pela Polícia Federal continua em execução, apesar do governo insistir que toma providências para acabar com a corrupção herdada.

“Nós temos que ter cuidado, Camila, sabe por quê? Porque pode acontecer de outras pessoas que você encobre aqui também não estar vindo. Porque nós vamos monitorar, também, da mesma forma que você está cobrando dela, que ela tem que cumprir com seus deveres e cada um cumprir com os seus deveres. E isso a gente vai resolver”, escancara a deputada

Sobre o envolvimento do secretário Carlos Lula no esquema, Ana do Gás afirma: “Vamos ao que interessa. Eu vou lá para a Secretaria [de Saúde] e vou pedir para o secretário lhe mandar um documento. Você quer que publique esse documento?”.

A servidora, então, tenta dignificar a sua condição de trabalhadora: “Se ele me mandar aqui um documento, não tem problema nenhum. Eu só não quero me corromper”.

(Com dados de Gilberto Leda)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui