Aos 61 anos, morre Otávio Frias Filho, diretor da Folha de São Paulo

0
254

Morreu nesta terça-feira (21), em São Paulo, o jornalista, escritor e ensaísta Otavio Frias Filho, de 61 anos. O diretor de redação da Folha de S. Paulo lutava contra um tumor no pâncreas e estava internado no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista.

Por 34 anos comandou a Folha de S. Paulo, promovendo mudanças e buscando atualizações. Era conhecido por ser um inquieto. Foi um dos responsáveis pela implantação do “Manual da Folha”, que define o estilo característico do veículo.

Formado em direito e com pós-graduação em ciência política, escreveu peças de teatro e livros. Nos últimos anos, escrevia uma coluna no caderno Ilustríssima, de cultura.

Como diretor de Redação da Folha, Frias sistematizou e desenvolveu as experiências do jornal no período da abertura política e da campanha Diretas-Já. Documentos divulgados periodicamente traduziram as linhas editoriais do jornal, no que ficou conhecido como Projeto Folha[4]. Define-se pela prática de um jornalismo crítico, apartidário e pluralista.

Esses princípios nortearam também o Manual da Redação, lançado em 1984 e atualizado desde então. Mais que um manual de estilo, é um conjunto de normas e compromissos assumidos pelo jornal. Foi o primeiro livro do gênero colocado à disposição do público.

O pressuposto é que o jornalismo deve ser descritivo e preciso, mas que todo tema sujeito a controvérsia admite mais de um ângulo e exige tratamento pluralista. O jornal tornou-se conhecido também pela diversidade de seu elenco de colunistas. Ao mesmo tempo, criaram-se mecanismos de controle interno, como freios e contrapesos: o próprio Manual, a seção diária “Erramos” (1991), a obrigação de publicar contestações enviadas ao jornal e, sobretudo, o posto de ombudsman (1989), profissional dotado de estabilidade temporária e encarregado de criticar a própria Folha e acolher pleitos de leitores e personagens do noticiário.

Desde meados do regime militar, a Folha manteve posição crítica diante de sucessivos governos (Ernesto GeiselJoão FigueiredoJosé SarneyFernando Collor de MelloItamar Franco). Otavio Frias Filho foi processado juntamente com outros três jornalistas da Folha pelo então presidente Fernando Collor. A cobertura dos governos Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) valeu ao jornal acusações de ser pró-oposição durante ambos os períodos presidenciais.

Da revelação da fraude na concorrência para a Ferrovia Norte-Sul (1986) até a do escândalo do mensalão (2005), a Folha tem estado na vanguarda da fiscalização das autoridades e da revelação de desmandos e abusos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui