Após criticar encerramento da refinaria, Flávio Dino é cauteloso com siderúrgica

0
639

AQUILES EMIR

Ao conceder entrevista ao programa Na Hora, da FM 92,3 nesta quinta-feira à tarde (21), o governador Flávio Dino (PCdoB) foi contundente ao criticar a não conclusão de um dos maiores investimentos dos governos do PT no Maranhão, a Refinaria Premium I (foto), no município de Bacabeira. “A não concretização do empreendimento é um enorme débito que o passado tem com as cidades de Bacabeira e Rosário porque foram muitas promessas frustradas e com danos gravíssimos, econômicos, morais e psicológicos às pessoas”, disse ele, envolvendo indiretamente a ex-governadora Roseana Sarney como responsável pelo fracasso desta empreitada da Petrobras.

A Premium I foi lançada em janeiro de 2010 pelo ex-presidente Lula e a sua então chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, com a promessa de que entraria em funcionamento quatro anos depois, muito embora técnicos da Petrobras afirmassem ser impossível a conclusão de um projeto desse porte em menos de sete anos.

Do lançamento da refinaria participaram também o então ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e a ex-governadora Roseana Sarney. Graças a esse projeto, Lula garantiu não apenas a eleição de sua candidata para sucedê-lo, mas facilitou a reeleição de Roseana, que era adversária de Dino. Junto com Roseana foram mandados para o Senado, Edison Lobão e João Alberto, ou seja, PT e PMDB (leia-se Grupo Sarney) garantiram os cargos mais importantes no estado.

Além da refinaria de Bacabeira, Lula e Dilma lançaram também a Refinaria Premium II, em Fortaleza (CE), que foi paralisada na mesma época, no primeiro semestre de 2015. Quando esteve mês passado em São Luís, o ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT), pré-candidato a presidente da República, classificou o fim dos dois projetos como o calote aplicado pelo PT aos maranhenses e cearenses, e prometeu que, se eleito, concluirá ambas as refinarias.

Cautela – Depois de criticar o projeto do governo petista, Flávio Dino disse que por isto, apesar de confiante, trata com cautela o projeto da siderúrgica que vem sendo negociada com o governo chinês. “Nós estamos evitando esse erro”, disse, justificando sua postura de discrição e cautela sobre esse projeto. “Eu só anuncio as coisas quando elas são concretas”, acrescentou.

O Governo do Estado está, desde 2015, tentando repor o prejuízo que foi causado por o projeto fracassado do passado, e uma das iniciativas que estão mais avançadas visa a instalação de uma empresa siderúrgica em Bacabeira. “Nós temos feito inúmeras tratativas, lideradas pelo vice-governador Carlos Brandão, viagens, visitas e caravanas à China, para reunião com os investidores, aqui mesmo no nosso estado eu já tive reuniões com a Vale, que é uma empresa que pode participar desse projeto também, e nós estamos confiantes”, explicou Flávio Dino.

O governador informou ainda que todos os projetos já foram assinados, inclusive muito recentemente Carlos Brandão esteve na China, quando da visita do presidente Michel Temer, para assinatura de documentos entre o governo brasileiro e o governo chinês, “para que esta empresa, chamada CBSteel, tenha o apoio governamental chinês necessário para que se implante”.

“Então, nós estamos nesta fase. Confiantes, otimistas, mas esperando que as coisas de fato se concretizem para a gente poder fazer a festa. A gente não pode fazer a festa antes da hora porque o povo de Bacabeira merece respeito. E eu não vou cometer a mesma artimanha que foi usada no passado de anunciar uma coisa que depois não dá certo. Mas estou otimista e animado. Se Deus quiser vai dar tudo certo”, completou Flávio Dino.

(Com dados da Secap)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui