Assembleia Legislativa envia comissão a Barra do Corda para ver “gaiolão”

0
495

Atendendo solicitação da deputada Andrea Murad (foto), do PMDB, a Assembleia Legislativa formará uma comissão de deputados para visitar a Delegacia de Barra do Corda, onde é mantida uma gaiola no fundo da unidade, usada como cela para colocar os presos. A parlamentar denunciou as condições desumanas após a morte do comerciante Francisco Edinei Lima Silva, de 40 anos, que foi detido por se envolver em um acidente de trânsito, domingo passado (dia 08), quando dirigia em estado de embriaguez alcoólica.

Encaminhado para a delegacia, Francisco foi colocado em uma espécie de gaiola na área externa, sem teto, sem água e numa sensação térmica que pode chegar a 40 graus. Após o dia exposto ao ar livre, Francisco – que era hipertenso – sofreu convulsões dentro da gaiola e veio a óbito. A líder de oposição levou o assunto para a tribuna nesta quarta-feira (11) e solicitou diretamente ao presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho, a ida de uma comissão até o município de Barra do Corda para apurar a denúncia.

“Imprescindível que o Ministério Público e todas as outras autoridades se manifestem a respeito desse assunto, porque nós precisamos tomar uma providência imediata para o fechamento dessa ‘câmara de tortura’, permitida pelo Governador Flávio Dino em pleno século XXI. É a volta das prisões medievais. Também irei acionar a ONU e buscarei o apoio da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados em Brasília para denunciar essa barbárie a nível internacional”, denuncia a parlamentar.

Ela disse também que já falou com o presidente desta Assembleia, deputado Humberto, para que uma comissão de deputados visite aquele estabelecimento para que juntos com outras autoridades seja encontras soluções para que a ‘gaiola’ seja retirada de lá e “não provoque a morte de mais nenhum cidadão. Isso é desumano, é degradante, é um crime contra a humanidade”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui