Atiradores de elite matam sequestrador de ônibus no Rio de Janeiro

0
668

O porta-voz da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, coronel Mauro Fliess, confirmou que o sequestrador que fez 37 reféns no início da manhã, em um ônibus na Ponte Rio-Niterói, foi morto por atiradores de elite.

Tiros foram ouvidos no local por volta das 09h. Pelo Twitter, a PM informou que a ocorrência foi encerrada sem vítimas entre os reféns. “O tomador de refém foi neutralizado por um atirador de precisão do #Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] e todos os reféns foram libertados ilesos” postou a corporação.

O sequestro começou pouco antes das 6h e interditou a ponte nos dois sentidos. Até as 9h, o sequestrador havia liberado seis reféns. Segundo as primeiras informações, ainda não confirmadas, o sequestrador estava armado e se identificou como policial militar.

A polícia disse que a arma usada por ele era um simulacro, ou seja, de brinquedo.

A ponte permanece interditada.

Negociações – O sequestro começou por volta das 5h30 no sentido Rio da Ponte, na altura da o Vão Central da via expressa. Dos 37 reféns, seis foram liberadas ao longo das negociações, que foram feitas por agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope)
Em um dos momentos do sequestro, o homem deixou o veículo e jogou uma espécie de coquetel molotov em direção aos agentes, mas não acertou ninguém.
A ação do bandido fez com que os dois sentidos da Ponte ficassem interditados, provocando longos engarrafamentos tanto em direção ao Rio, quando para Niterói.
Durante o sequestro, o governador Wilson Witzel (PSC) se manifestou no Twitter sobre o caso.
“Estou acompanhando desde cedo, com atenção, o sequestro do ônibus na ponte Rio Niterói. Estou em contato direto com o comando da Polícia Militar, que trabalha para encerrar o caso da melhor maneira possível. A prioridade absoluta é a proteção dos reféns”, Witzel publicou.
(Com informações da Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui