Banco do Nordeste inaugura em Codó primeira agência com energia sustentável

0
561
DCIM100MEDIADJI_0035.JPG

O Banco do Nordeste inaugurou, quinta-feira (05), sua primeira agência com geração de energia solar, em Codó, na região dos Cocais. O sistema fotovoltaico conta com 78 placas, promove  cuidados com o meio ambiente e redução de custos de manutenção.

O objetivo da empresa é estender a solução inovadora para outras unidades do Banco do Nordeste. Por meio da linha de crédito FNE Sol, o BNB tem atuado fortemente no financiamento de matrizes energéticas sustentáveis para os negócios de sua área de atuação, que abrange todo o Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo.

Para o superintendente Hailton Fortes, a reestruturação da agência de Codó é reflexo da preocupação do BNB em oferecer melhores condições de atendimento à população. “Com esta nova unidade, moderna e adequada às necessidade da população de Codó, reforçamos a responsabilidade do Banco do Nordeste em estar presente e próximo à sociedade nordestina como o principal Banco de desenvolvimento, que apoia e incentiva as atividades produtivas e faz a diferença na vida das pessoas”, destacou.

O presidente Romildo Rolim e comitiva do Banco do Nordeste prosseguem em agenda no Maranhão com a inauguração, nesta sexta-feira, 6, da agência São Luís Calhau e das novas instalações da Superintendência Estadual do Maranhão e outras unidades administrativas, que passam a sediar-se no Edifício Marcus Barbosa Intelligent Office, situado na Avenida dos Holandes, Calhau. A cerimônia será realizada às 18h.

Solenidade de inauguração da nova agência do BNB em Codó

FNE Sol – O FNE Sol financia todos os componentes para geração centralizada e sistemas de micro e minigeração de energia elétrica fotovoltaica, eólica, de biomassa ou pequenas centrais hidroelétricas (PCH) e também sua instalação. O produto pode ser acessado por pessoas físicas, empresas de todos os portes e setores, produtores e empresas rurais, cooperativas e associações, instalados na área de atuação do Banco.

Para pessoas jurídicas, os financiamentos referentes à geração distribuída podem ser de até 100% do valor do investimento, quando os equipamentos financiados forem alienados em composição com outras garantias; em alguns casos, de até 75%, podendo ser os equipamentos a única garantia do crédito, dependendo do porte e da localização da empresa. Os prazos para pagamento são de até 12 anos, com carência de até um ano. No que se refere à geração centralizada, os prazos se estendem a até 20 anos, com carência de até cinco anos.

Pessoas físicas interessadas em gerar sua própria energia elétrica residencial também podem financiar até 100% dos componentes e a instalação dos sistemas de micro e minigeração de energia elétrica fotovoltaica ou eólica no Banco do Nordeste, com limite de R$ 100 mil e taxas de juros a partir de 0,39% ao mês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui