BNB será agente de inovação em cidades nordestinas de médio porte

0
296

O Banco do Nordeste vai disponibilizar agentes de inovação nas 40 maiores cidades de médio porte da Região. Eles vão trabalhar como catalisadores do aumento de produtividade em projetos inovadores e estruturantes, capazes de alavancar o potencial de crescimento dos municípios.

O anúncio foi feito pelo presidente do BNB, Marcos Costa Holanda, na abertura do I Fórum BNB de Cidades Médias G20+20, realizada nesta quinta-feira, 23, na sede da instituição, em Fortaleza. O evento prossegue até amanhã, quando ocorrerá uma feira de negócios.

Segundo Holanda, o Banco do Nordeste também concederá certificados de gestão aos municípios e mediará o encontro entre as demandas estruturantes e as ofertas de investidores privados. Além disso, o Banco do Nordeste e o Governo de Israel deverão compor um fundo de R$ 20 milhões voltado para apoiar iniciativas inovadoras das prefeituras. O BNB pretende ainda financiar projetos de infraestrutura por meio de parcerias público-privadas.

“A maneira mais efetiva de apoiar toda a Região é fortalecer seus polos regionais. Por isso, estamos investindo neste importante grupo de municípios responsáveis por um terço do PIB  do Nordeste, fora o das capitais. Eles representam uma região competitiva, diversa e com grande potencial de crescimento econômico, que é o que o investidor procura”, afirmou Holanda.

O I Fórum BNB de Cidades Médias G20+20 conta com a presença de especialistas e representantes de organizações de grande expertise para debater a importância das cidades médias na dinâmica econômica da área de atuação do BNB.

Além de Marcos Holanda, participaram da abertura do evento o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, o superintendente da Sudene, Marcelo Neves, o economista-chefe do BNB, Luiz Alberto Esteves, e os representantes da Fundação Dom Cabral, Luiz Antônio Athayde, e da Fundação Getúlio Vargas, José Henrique Paim. Eles discutiram sobre a importância das cidades médias para a estratégia de desenvolvimento regional.

A programação também incluiu painel sobre os programas governamentais alinhados aos objetivos do Fórum G20+20, com representantes dos ministérios das Minas e Energia, Cidades, Integração Nacional e Turismo. No primeiro dia de evento, também houve identificação e apresentação de investimentos privados instalados em cidades de médio porte com resultados expressivos em termos de impacto econômico.

Estudo – O Banco do Nordeste iniciou em 2017 a análise do perfil de cidades situadas na área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), com foco nos municípios considerados de médio porte e com maior capacidade de expandir, aos territórios do seu entorno, os efeitos de investimentos e demais ações desenvolvidas.

Com base no estudo “Cidades Médias do Nordeste: Estrutura Produtiva, Infraestrutura Municipal e Modelos de Gestão”, realizado pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), foram identificados 40 municípios considerando primordialmente o critério populacional: número de habitantes acima de 100 mil, excluindo desse padrão as capitais e os municípios de suas respectivas regiões metropolitanas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui