Brasil busca classificação para as seleções Masculina e Feminina nesta terça-feira

0
307

O técnico Tite sabe bem que o campo molhado pode atrapalhar a qualidade do jogo brasileiro na partida contra a Venezuela e a previsão é de dia chuvoso em Salvador (BA), nesta terça-feira (18), onde o jogo será realizado na Arena Fonte Nova, às 21h30. Já pelo lado feminino, o técnico Vadão espera uma vitória, mas sabe que um empate diante da Itália basta para classificar a Seleção.

Tendo em vista a preservação do gramado, as duas seleções acordaram de não realizar o último treino antes do jogo – o oficial da competição e de reconhecimento do campo – no local do duelo. O time brasileiro então fez seu último treino nesta segunda no Estádio do Barradão . Tite aprontou a equipe que enfrentará a Venezuela, mas não adiantou a escalação.

– O sentido de segurar a escalação não é dificultar para vocês (jornalistas), mas para não facilitar o trabalho do outro lado (o adversário) – explicou Tite em coletiva de imprensa na noite desta segunda.

A atividade da véspera do jogo contou com a participação de todos os 23 convocados. O goleiro Ederson, que se recupera de uma lesão na panturrilha, iniciou o trabalho de transição para o campo.

O jogo de amanhã vale a classificação para as quartas de final da Copa América. O Brasil, inclusive, pode até garantir o primeiro lugar no grupo caso a Bolívia vença seu jogo contra o Peru. Esse duelo acontece antes do confronto brasileiro. O treinador Tite ainda não confirmou os titulares para o jogo contra a Venezuela, mas adiantou o que espera dos 11 que começarem o jogo.

“Fazer um jogo melhor dos 20 aos 45 minutos do primeiro tempo. Período em que nós não fomos bem no jogo contra a Bolívia”, admitiu.

Brasil x Jamaica – Copa do Mundo Feminina 2019

Feminina – De olho na classificação para a segunda fase da Copa do Mundo, o Brasil enfrenta a Itália nesta terça-feira (18), no Stade du Hainaut, em Valenciennes. A partida, que está marcada para as 16h (horário de Brasília) vale pela terceira rodada, que definirá os 16 classificados para as oitavas de final.

A partida é decisiva para a Seleção Feminina, que precisa de pelo menos um empate para se classificar. Na segunda posição, com três pontos, o Brasil pode terminar a fase de grupos até mesmo na primeira posição. Mas uma derrota pode encerrar precocemente a campanha brasileira em solo francês. Tudo depende da combinação de resultados. Adversária do dia, a Itália já está classificada, e entra em campo apenas para ver em que posição terminará a fase de grupos.

Para o jogo decisivo, o técnico Vadão terá apenas um desfalque. Punida com dois cartões amarelos em duas partidas, a meia Formiga está suspensa. O treinador confirmou durante a coletiva de imprensa que a vaga dela será ocupada por Andressinha, que fará sua estreia no Mundial.

Quem também está confirmada é Marta. No último jogo, a Rainha fez história mais uma vez. Ao balançar as redes da Austrália, na segunda rodada, se igualou ao alemão Miroslav Klose e se tornou a maior artilheira em Mundiais entre homens e mulheres, com 16 gols. Além disso, a camisa 10 ultrapassou mais um recorde e é a primeira a marcar gols em cinco edições da competição (2003, 2007, 2011, 2015 e 2019).

Acostumada a grandes jogos, a meia descartou a possibilidade de jogar pelo empate contra a Itália. Durante a coletiva desta segunda, a atacante disse que não existe a possibilidade de empate e considera duelo de vida ou morte. “Precisamos vencer para nos classificarmos. Temos que ser competitivas, mas se criarmos chances, temos que finalizar as jogadas e colocar a bola no caminho certo”, disse.

Quem também analisou o confronto desta terça-feira foi a atacante Beatriz Zaneratto. A Imperatriz revelou que o grupo já refletiu sobre a virada sofrida para a Austrália, por 3 a 2, e projetou o duelo pela vaga.

“Elas têm muita qualidade na posse de bola, não é um time de muita velocidade. Nesse ponto vai nos ajudar, pois nosso estilo é com a bola nos pés, criando as jogadas. Igualando isso, conseguindo jogar o nosso futebol, como conseguimos mesmo contra a Austrália, vai ser o diferencial contra a Itália. É pra cima delas. É tudo ou nada”, disse Beatriz.

(Da CBF)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui