Brasil e Vietnã assinam acordo acordos em aviação e agricultura

0
126
O Embaixador do Vietnã no Brasil, Do Ba Kho, o vice-primeiro-ministro vietnamita, Vuong Dinh Hue, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes e o ministro da agricultura, Blairo Maggi durante assinatura de atos.

PEDRO RAFAEL VILELA

Após encontro com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, o vice-primeiro-ministro do Vietnã, Vuong Dinh Hue, assinou nesta segunda-feira (02), no Itamaraty, três acordos internacionais com o governo brasileiro, em cerimônia comandada pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. A comitiva vietnamita era formada por ministros e empresários.

Entre as medidas bilaterais acordadas, está um entendimento no setor de aviação civil, que, segundo o Itamaraty, facilitará a conexão aérea entre os dois países, “com impactos positivos sobre o turismo e as visitas de negócios”. O acordo permite, por exemplo, que empresas aéreas dos dois países sobrevoem ambos os territórios sem pousar, além de fazer escalas para embarque e desembargue de passageiros e mercadorias.

Na área do agronegócio, foi assinado memorando que prevê intercâmbio de sementes e raças animais, informações técnicas e documentos entre os países, bem como organização conjunta de seminários técnicos, workshops, conferências e exposições setoriais, envolvendo especialistas e cientistas das duas partes, que poderão formular e implementar projetos de pesquisa na área agrícola.

“O comércio tem que ser ampliado entre as partes e anda quando a parte política decide que deve andar. Daqui para a frente os técnicos do Ministério da Agricultura, juntamente com os técnicos deles [vietnamitas] buscarão harmonizar mais a legislação dos nossos certificados fitossanitários e fazer com os negócios aconteçam pelas mãos dos empresários, como deve ser feito”, disse o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, após encontro privado com ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural do Vietnã, Ha Kong Tuan.

Segundo o governo brasileiro, um dos interesses do Vietnã é estabelecer uma cooperação com o Brasil na área de produção e comercialização de etanol.

Relação bilateral – Nos últimos 16 anos, o volume de trocas econômicas entre os dois países deu um salto expressivo, saindo de uma balança comercial de US$ 29 milhões em 2001, para US$ 3,9 bilhões em 2017. Esse resultado coloca o Vietnã à frente de parceiros tradicionais do Brasil na América do Sul, em termos de volume de comércio, como Peru (corrente de comércio de US$ 3,8 bilhões), Paraguai (US$ 3,7 bilhões) e Uruguai (US$ 3,6 bilhões).

De acordo com o vice-primeiro-ministro Voung Dinh Hue, somente entre 2016 e 2017, o comércio bilateral cresceu mais de 20%, com potencial de expansão. “O Brasil vai dar abertura a mais produtos do Vietnã, e o Vietnã ficará ainda mais aberto para importar produtos do Brasil”, destacou, em discurso no Itamaraty.

Com mais de 90 milhões de habitantes, o Vietnã tem crescido a uma média anual próxima de 7% desde 1990 e se consolidou com um dos mercados consumidores mais expressivos do Sudeste Asiático. O ministro Aloysio Nunes lembrou ainda que o país é um dos integrantes da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean), na qual a soma das riquezas dos seus países-membros é equivalente à da quinta maior economia do planeta.

“Tivemos nesse encontro a oportunidade de celebrar uma relação cada vez mais densa, mais abrangente de cooperação, de amizade, e de muito entendimento no plano político, uma vez que Vietnã e Brasil compartilham de uma visão comum sobre os principais temas da agenda global”, destacou o chanceler brasileiro durante declaração à imprensa ao lado do vice-primeiro-ministro vietnamita.

Além dos acordos na área de aviação e agricultura, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) firmou um entendimento com a Câmara de Comércio Exterior do Vietnã, com o objetivo de ampliar negócios entre os dois países.

Agenda – Nesta terça-feira (3), Vuong Dinh Hue estará em São Paulo, para participar do Fórum de Comércio e Investimentos Brasil-Vietnã e de reunião com representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), empresários brasileiros e representantes de entidades do setor privado nacional.

No ano que vem, os dois países comemorarão 30 anos do estabelecimento de relações diplomáticas.

(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui