CNI condecora presidente Michel Temer com Ordem do Mérito Industrial

0
177

Confederação Nacional da Indústria (CNI) condecorou o presidente Michel Temer, terça-feira (30), com o Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial. A comenda, a mais importante homenagem prestada pelo setor a autoridades, foi entregue pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, em cerimônia realizada em Brasília. A medalha é um reconhecimento da indústria brasileira às realizações de Temer em prol da agenda de competitividade do país, como na discussão e realização de reformas estruturais.

A Ordem do Mérito Industrial foi criada como distinção a autoridades com destacado empenho e contribuição para a construção de um Brasil moderno e competitivo. O presidente da CNI destacou que, em pouco mais de dois anos e meio de governo Temer, houve avanço sem precedentes no aprimoramento e na aprovação de propostas estratégicas. Entre elas, o fim da participação obrigatória da Petrobras em leilões do pré-sal – indispensável para destravar investimentos no setor de óleo e gás –, a aprovação da Emenda Constitucional 95, que limita o crescimento de gastos da União, e a modernização das leis do trabalho.

“O governo Temer, com dois anos e meio, fez o que o setor produtivo e parte importante da sociedade esperava havia décadas. O teto de gastos é fundamental para o reequilíbrio das contas públicas. A nova lei trabalhista trouxe para o século 21 uma legislação da década de 1940. Houve avanços importantes na agenda de privatizações na infraestrutura. Tais medidas foram importantes para a retomada do crescimento e se mostrarão fundamentais para o desenvolvimento do país”, avalia Robson Andrade.

Em discurso, o presidente da CNI destacou o ambiente de cooperação e diálogo firmado entre governo e setor privado e seu papel na recuperação da economia, após a profunda crise dos últimos quatro anos. As medidas, segundo Andrade, contribuíram para recolocar o Brasil no caminho do crescimento e devem facilitar as decisões do futuro governo. “O senhor tem reconhecido a real magnitude das medidas que precisavam ser tomadas, populares ou não, em favor da indústria e da construção de um Brasil próspero e socialmente justo”, afirmou.

Após receber a homenagem, o presidente Michel Temer afirmou que a comenda deve ser partilhada com os poderes Executivo e Legislativo, que propuseram e aprovaram as medidas. Ele afirmou que seu governo foi pautado pela responsabilidade fiscal e social, princípios que se concretizaram na definição de um teto para o crescimento do gasto público e pela modernização das leis do trabalho. “Restabelecemos um princípio até frugal de que não se pode gastar mais do que se ganha”, disse.

Temer também citou a recuperação da credibilidade de empresas estatais, como a Petrobras e o Banco do Brasil, que apresentaram importante recuperação em valor de mercado após mudança de gestão. Além disso, destacou a recuperação do mercado de trabalho, sobretudo no último trimestre. 

Presidente Michel Temer discursa na solenidade de possa da nova diretoria da CNI

Acordos assinados – Durante a solenidade, foram assinados dois acordos entre a CNI, como instituição parceira do Índice Global de Inovação (IGI), e o governo federal. Os instrumentos firmam parcerias entre a CNI e a Casa Civil e o Ministério do Trabalho com o objetivo de definir estratégias nacionais para o fortalecimento da inovação e para contribuir na preparação do país enfrentar os desafios da quarta revolução industrial.

Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, a institucionalização do programa Brasil Mais Produtivo, que é executado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), representa um salto em termos de políticas públicas para o setor produtivo nacional. Ele destacou que a iniciativa tem ajudado empresas a darem saltos de produtividade e de eficiência no chão de fábrica. “O programa democratiza o acesso de pequenas e médias empresas a padrões elevados de produtividades exigidos para que se usufra dos ganhos da indústria 4.0”, disse.

Conheça os documentos assinados durante a solenidade:

  • Acordo de Cooperação Técnica entre a CNI e a Casa Civil – Tem como objetivo a formulação de uma estratégia de longo prazo para a inovação, para o fortalecimento da articulação entre a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) com o governo e a academia e para o aprimoramento do sistema de governança da inovação, em questões relativas à ciência e tecnologia, no governo federal;
  • Acordo de Cooperação Técnica entre a CNI e o Ministério do Trabalho – Instrumento tem como objetivo a formulação e a execução de ações conjuntas voltadas ao fortalecimento da inovação, ao incentivo à qualificação da mão de obra e à geração de trabalho e emprego no Brasil.
  • Documento do Ministério da Educação – O MEC anunciou a liberação de R$ 20 milhões em recursos para a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), destinados a alavancar o aporte de recursos privados em pesquisa e desenvolvimento (P&D). A entidade subsidia um terço dos recursos, a partir de projetos apresentados por empresas, que entram com outra parte dos investimentos em conjunto com os centros de pesquisa credenciados, conhecidos como Unidades Embrapii.
  • Programa Brasil Mais Produtivo –   O presidente Michel Temer assinou decreto-lei que institui o Programa Brasil Mais Produtivo, destinado a elevar os níveis de eficiência e de produtividade na indústria brasileira. Iniciativa do governo federal e executado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o programa aumenta a produtividade da indústria em torno de 50%, por meio de ações de gestão de processos fabris.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui