Coligação de Roseana denuncia abuso político de aliado de Flávio Dino em Imperatriz

0
192

A coligação Maranhão Quer Mais, encabeçada pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), em nota distribuída na tarde deste domingo (23) acusa membros da equipe de Flávio Dino (PCdoB) de virem pressionando servidores públicos a participarem de atos de campanha do governador, em especial os secretários de Cultura (Diego Galdino) e da Saúde (Carlos Lula), que teriam sido flagrados em áudios em poder da coligação.

A nota lembra que semana passada um ato de campanha de um dos aliados do governador, Rildo Amaral (foto), em Imperatriz teve o palanque armado sobre obras em andamento na cidade.

De acordo com a nota, a assessoria jurídica deve ingressar com denúncia na Procuradoria de Justiça Eleitoral. Os atos se assemelhariam aos atos praticados em 2016 pelo governador e auxiliares em Coroatá, na eleição de 2016.

Eis o teor da nota:

NOTA DE REPÚDIO

A Coligação “Maranhão Quer Mais” vem a público repudiar o uso da máquina do Estado para deformar o resultado do pleito eleitoral que se avizinha.

Se não bastasse o flagrante documentado em Imperatriz, entre domingo (18) e quarta-feira (21),protagonizado pelo candidato a deputado estadual Rildo Amaral, do Solidariedade, aliado do candidato à reeleição para o governo, Flávio Dino, que fez palanque sobre obra eleitoreira em execução (asfalto em três ruas do bairro Vila Redenção), surgem, agora, mensagens em áudio distribuídas via equipamentos e linhas telefônicas públicas, por integrantes do primeiro escalão governamental, da Saúde e da Cultura, intimando servidores a comparecerem a atos de campanha, levando familiares, em final de semana.

O próprio chefe do governo, que é um ex-juiz de direito, encorajou seus comandados a essas práticas, quando tentou desmoralizar a magistrada que o condenou por chantagem explícita ao eleitor de Coroatá por ocasião das eleições de 2016.

Agora, vê-se a banalização de práticas diversas de captação ilícita de votos, demonstrando que o ex-juiz e seus asseclas apostam na impunidade, topam humilhar a lei e desafiam a capacidade de percepção do ministério público eleitoral.

A assessoria jurídica da nossa campanha está ingressando com todos os pedidos de apuração que se fazem necessários, crendo piamente que o mesmo será feito pela Procuradoria Eleitoral, até porque os criminosos a serviço da desmoralização do presente processo eleitoral agem às claras, sem subterfúgios, tão confiantes que estão de que a lei não foi feita para eles.

São Luís, 23 de setembro de 2018

Coligação “MARANHÃO QUER MAIS”

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui