Safra maranhense de grãos supera 5,6 milhões de toneladas, segundo Conab

0
202

AQUILES EMIR

Em seu 11º levantamento sobre a safra de grãos 2017/18, divulgado nesta quinta-feira (09), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima para o Maranhão uma colheita de 5,622,4 milhões de toneladas, 17,4% a mais do que a produção da safra 2016/17, que foi de 4,790,7 milhões. A projeção representa ainda um aumento de 300 mil toneladas na comparação com o último levantamento, divulgado em julho, quando foi projetada uma produção de 5,322 milhões de toneladas.

De acordo com a Conab, para atingir este volume, a área plantada no estado foi de 1,831 milhão de toneladas, o que representa um aumento de 17% em relação à safra passada quando foram plantados 1,565 milhão de hectares. O levantamento diz ainda que a produtividade deste ano é de 3.069 quilos por hectare, uma variação de 0,3% em comparação à anterior, que foi de 3.061 quilos por hectare.

Saiba como foi a avaliação da Conab no estado para as principais cultura:

Algodão – A área plantada é estimada em 22,3 mil hectares, com produtividade média de 3.913 kg/ha. Cerca de 35% da área plantada já foram colhidas, com especial atenção para a queda de produtividade média que possivelmente deve ser observada nessa estação. O volume colhido deve apresentar perdas no rendimento médio, estimados em aproximadamente 20% devido ao veranico em abril. O cultivo de algodão de segunda safra tem se destacado e chamado a atenção das propriedades por ser realizado em sucessão à lavoura de soja, o que aumenta o rendimento por área das unidades produtivas e quebra o ciclo de algumas das pragas e doenças do algodoeiro.  No que diz respeito à produção, haverá uma queda de 0,9%, com uma colheita de 87,3 mil toneladas contra 88,1 mil da safra passada.

Arroz –  A colheita das lavouras de arroz de sequeiro estão finalizadas em todas regiões pesquisadas, com ênfase para um ligeiro acréscimo da produtividade média observada na ordem de 5,1% em relação à safra anterior, passando de 1.775 kg/ha para 1.865 kg/ha, favorecido especificamente pelas condições climáticas, sem, contudo, haver mudanças significativas no padrão tecnológico empregado nas unidades produtivas. Foi finalizada a colheita nos municípios de Arari, Vitoria do Mearim e São Mateus do Maranhão, pertencentes à região dos Campos Naturais ou Baixada Maranhense. O Município de Vitória do Mearim, responsável por 21% da área cultivada com arroz irrigado, encontra-se com as lavouras já estabelecidas, com 100% de sua área em desenvolvimento vegetativo. Sobre a área plantada, ela passou de 1,4 mil hectares para 3,8 mil hectares. No tocante à produtividade média obtida, ficou evidenciado que o rendimento médio deve permanecer em torno de 4.500 kg/ha, devido ao excesso de chuvas que prejudicou a colheita. A produção deve aumentar 30,6%, passando de 255,9 mil para 334,3 mil toneladas.

Feijão – A estimativa é que sejam colhidas 59,2 mil toneldas, 4,4% a mais das 56,7 mil da safra passada. A área plantada também aumentou 3,1%, saindo de  87,8 mil  para 90,5 mil hectares.

Milho – Cerca de 64,5% da área já foram colhidas, confirmando as previsões quanto à queda do rendimento médio. A produtividade média obtida está no patamar de 2.172 kg/ha, ou seja, 39,2% inferior ao observado na safra anterior, que foi de 3.572 kg/ha. Aguarda-se o avanço e finalização da colheita para avaliar numericamente a real dimensão das perdas de rendimento dessa cultura.  A produção deve registrar uma queda de 2,3%, pois foi na safra anterior de 1,951,9 milhão de toneladas e cairá para 1,906,4 milhão de toneladas.

Soja – Foi finalizada a colheita da oleaginosa em toda as regiões produtoras acompanhadas durante o levantamento, com destaque para algumas áreas que evidenciaram de forma pontual produtividades médias de 3.125 kg/ha. Esse cenário positivo nas lavouras de soja foi favorecido principalmente pelas condições climáticas extremamente favoráveis.   A colheita registrou um aumento de 20,2%, isto é, aumento de 2,473 milhões para 2,973 milhões de toneladas.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui