Conab projeta produção agrícola de 4,8 milhões de toneladas para o Maranhão

0
650

AQUILES EMIR

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou nesta quinta-feira (08) nova estimativa de safra, em que o  Maranhão aparece com uma produção projetada em 4,854 milhões de toneladas de grãos, o que representa uma variação de 95,6% na comparação com a colheita anterior, que foi de 2,481,7 milhões.

O desempenho se deve à ampliação tanto da área plantada, que variou 9,8%, indo de 1420,1 milhão para 1,558,6 milhão de hectares, quanto da produtividade, que era de 1.748 quilos por hectare e este será de 3.115 quilos por hectare, o que corresponde a um aumento de 78,2%.

De acordo com as projeções da Conab, milho e soja são as culturas que mais impactam neste crescimento. O milho, por exemplo, terá uma produção de 2,023 milhões de toneladas, o correspondente a 131,5% da colheita anterior, que foi de 874,4 mil toneladas, enquanto a soja terá uma variação de 99,8%, pois a colheita será 2,498 milhões de toneladas contra a de 1,250 milhão da safra anterior.

Quanto à produção nacional, a Conab diz que ela pode chegar a 234,3 milhões de toneladas, um aumento de 25,6% (47,7 milhões de toneladas) em relação à safra passada. Os responsáveis pela supersafra atual foram o crescimento de área e as produtividades médias, informou a Conab. A previsão é de ampliação de 3,7% na área total, podendo chegar a 60,5 milhões de hectares, incluídas as culturas de segunda e terceira safras e as de inverno.

Colheitas – A produção da soja deve crescer 19,4% atingindo 113,9 milhões de toneladas, com ampliação de 1,9% na área plantada estimada em 33,9 milhões de hectares. No caso do milho total, a produção deve alcançar 93,8 milhões de toneladas, 41% acima da safra 2015/2016. A estimativa é de 30,3 milhões de toneladas para a primeira safra e de 63,5 milhões para a segunda. A área total deve ser de 17,3 milhões de hectares, com uma ampliação de 8,9%. Milho e soja respondem por quase 90% dos grãos produzidos no país.

O feijão primeira safra, que está no final da colheita, deve alcançar uma produção de 1,39 milhão de toneladas, resultado 34,1% superior ao produzido em 2015/2016. Já a segunda safra deve ser de 1,31 milhão de toneladas, sendo 639,4 mil toneladas do grão cores, 208,6 mil toneladas do preto e 460,1 mil toneladas do feijão caupi.

A produção do feijão total teve atingir 3,4 milhões de toneladas, numa área de 3,1 milhões de hectares. Com referência ao algodão pluma, o crescimento é de 15,4%, podendo chegar a 1,5 milhão de toneladas, mesmo com uma estimativa de redução de 1,7% na área cultivada.

Inverno – Há previsão de queda de 8,8% na área de trigo, podendo ser de 1,93 milhão de hectares. Com isso, a produção sofre redução de 22,6% e chega a 5,2 milhões de toneladas. A aveia, ao contrário do trigo, apresenta crescimento de área de 3,4%, podendo alcançar 301,5 mil hectares. A produção está estimada em 705,7 mil toneladas.

A pesquisa foi realizada no período de 21 a 27 de maio em todas as regiões produtoras, quando foram consultadas diversas instituições e informantes cadastrados em todo o país.

(Com dados da Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui