Cruzeiro vence Atlético do Paraná e Chapecoense se classifica nos pênaltis contra o Galo

0
264

Pelas Oitavas de Final da Copa do Brasil 2018, o Cruzeiro largou na frente do Atlético do Paraná, nesta quarta-feira (16), na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), onde venceu o time da casa por 2 a 1, de virada, e conquistou a vantagem do empate para o duelo de volta. As duas equipes volta a se enfrentar no dia 16 de julho, em Belo Horizonte.

Em Chapecó (SC), Chapecoense e Atlético Mineiro voltaram a empatar em 0 a 0 e as duas equipes decidiram a vaga nos pênaltis. Mais eficiente nas cobranças, a Chape venceu por 4 a 3 e avançou para as Quartas de Final do torneio nacional pela primeira vez na história.

Mesmo fora de casa, o Cruzeiro controlou as ações no início do jogo. Apesar da Raposa incomodar a zaga rubro-negra com Robinho, Arrascaeta e Sassá, quem saiu na frente do marcador foi o Atlético-PR. Aos 41 minutos, Thiago Carleto soltou a bomba e colocou o Furacão na frente, 1 a 0. O time mineiro tentou responder nos minutos finais, mas Santos fez grande defesa em tentativa de Arrascaeta e manteve a vitória parcial dos paranaenses.

No segundo tempo, o Cruzeiro conseguiu converter o domínio em gols e alcançou a virada. Aos 34 minutos, Henrique arriscou de longe e contou com o desvio no meio do caminho para superar o goleiro Santos e empatar a partida, 1 a 1. Já nos acréscimos, Raniel escapou da marcação de dois defensores, invadiu a área e decretou a virada mineira, 2 a 1.

Classificação – O equilíbrio marcou o embate entre Chapecoense e Atlético. Mesmo fora de casa, o Galo tomou a iniciativa da partida e buscou dominar as ações do primeiro tempo. Com a mesma postura do jogo de ida, a Chapecoense apostou nos contra-ataques para assustar o goleiro Victor, que salvou na melhor chance criada na etapa inicial em cabeceio de Wellington Paulista já nos acréscimos.

Na volta do intervalo, o Galo tentou pressionar em busca do gol, mas esbarrou nas boas defesas do goleiro Jandrei. Após segurar a pressão mineira, a Chapecoense também criou assustou, mas pecou nas finalizações e o placar se manteve zerado.

Na abertura das cobranças de pênaltis, Ricardo Oliveira parou nas luvas do goleiro Jandrei. Em vantagem, a Chapecoense demonstrou frieza na hora de decidir e abriu 3 a 2. Após Róger Guedes chutar para fora, Victor manteve o Galo vivo ao defender a cobrança de Bruno Pacheco. Cazares igualou a disputa em 3 a 3, mas Rafael Thyere garantiu a classificação da Chape.

(Com dados da CBF e imagens de Sirli Freitas/Chapecoense e do Cruzeiro/divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui