Custo da construção no Maranhão é o segundo maior do Nordeste

0
387
Setor de Construção Civil foi o que mais demitiu no Maranhão no mês janeiro, segundo dados do Caged

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), subiu 0,42% em janeiro, ficando 0,20 ponto percentual (p.p) acima da taxa de dezembro de 2018 (0,22%). O acumulado em 12 meses foi para 4,56%, resultado pouco acima dos 4,41% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2018, o índice foi de 0,27%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que fechou o ano de 2018 em
R$ 1.113,88, passou para R$ 1.118,60 em janeiro, sendo R$ 580,41 relativos aos materiais e R$ 538,19 relativos à mão de obra. No Maranhão, o custo ficou em R$ 1068,56, o segundo mais alto do Nordeste.

A parcela dos materiais variou 0,19%, com queda tanto em relação a dezembro de 2018 (0,45%), como em relação a janeiro de 2018 (0,50%).

Já o valor da mão de obra subiu 0,68%, 0,70 p.p acima de dezembro de 2018 (-0,02%). Comparando com janeiro do ano anterior (0,04%), também houve alta significativa, já que em janeiro de 2018 foi firmado apenas 1 acordo coletivo, em contrapartida aos 3 dissídios de janeiro de 2019.

Os acumulados em 12 meses ficaram em 5,98% (materiais) e 3,11% (mão de obra), respectivamente.

A região Sudeste (0,83%) ficou com a maior variação regional no primeiro mês do ano, com dissídio coletivo em Minas Gerais e alta na parcela de materiais em três estados. As demais regiões tiveram os seguintes resultados: 0,12% (Norte), 0,19% (Nordeste), 0,18% (Sul) e 0,08% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.123,38 (Norte); R$ 1.039,39 (Nordeste); R$ 1.167,87 (Sudeste); R$ 1.159,47 (Sul) e R$ 1.125,20 (Centro-Oeste).

Minas Gerais (2,54%) foi o estado com a maior variação mensal, decorrente da pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo. A seguir, veio o Piauí (1,03%), também sob influência de reajuste celebrado em convenção coletiva.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL 
Janeiro/2019 considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL               1118,60 559,83 0,42 0,42 4,56
REGIÃO NORTE        1123,38 559,77 0,12 0,12 5,30
Rondonia 1164,47 649,23 0,84 0,84 4,83
Acre 1232,02 654,02 -0,13 -0,13 4,81
Amazonas 1084,81 531,16 0,05 0,05 4,93
Roraima 1175,79 488,26 0,12 0,12 5,65
Para 1114,91 534,39 0,15 0,15 6,42
Amapa 1086,09 527,53 -0,24 -0,24 2,23
Tocantins 1161,76 610,85 0,04 0,04 3,65
REGIÃO NORDESTE     1039,39 561,45 0,19 0,19 4,50
Maranhão            1068,56 562,90 0,08 0,08 5,02
Piaui 1066,03 708,42 1,03 1,03 4,72
Ceara 1040,39 600,90 0,48 0,48 4,67
Rio Grande do Norte 1030,64 519,50 0,57 0,57 4,65
Paraiba 1087,02 601,11 0,17 0,17 4,69
Pernambuco 1011,93 541,06 -0,16 -0,16 3,62
Alagoas 1024,36 511,83 0,21 0,21 3,37
Sergipe 977,30 519,35 0,82 0,82 4,58
Bahia 1035,02 547,85 0,02 0,02 4,74
REGIÃO SUDESTE      1167,87 559,10 0,83 0,83 4,58
Minas Gerais 1068,16 587,81 2,54 2,54 6,72
Espirito Santo 1015,07 563,02 0,18 0,18 4,05
Rio de Janeiro 1230,66 560,82 0,46 0,46 2,85
São Paulo 1214,91 548,74 0,14 0,14 4,17
REGIÃO SUL          1159,47 554,50 0,18 0,18 4,76
Parana 1133,29 541,95 0,13 0,13 4,80
Santa Catarina 1250,52 677,41 0,21 0,21 4,16
Rio Grande do Sul 1115,68 506,40 0,24 0,24 5,30
REGIÃO CENTRO-OESTE 1125,20 574,43 0,08 0,08 4,02
Mato Grosso do Sul 1093,88 514,40 0,11 0,11 3,38
Mato Grosso 1126,74 642,87 0,05 0,05 4,88
Goias 1099,36 580,79 0,25 0,25 2,84
Distrito Federal 1180,72 521,41 -0,12 -0,12 4,95
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
Janeiro/2019 não considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL               1201,26 600,92 0,44 0,44 4,46
REGIÃO NORTE        1200,14 598,07 0,13 0,13 5,13
Rondonia 1243,83 693,49 1,00 1,00 4,77
Acre 1316,05 698,51 -0,13 -0,13 4,71
Amazonas 1160,09 568,28 0,05 0,05 4,96
Roraima 1265,46 525,44 0,13 0,13 5,60
Para 1189,63 569,99 0,14 0,14 6,07
Amapa 1158,69 562,62 -0,22 -0,22 2,14
Tocantins 1242,29 653,23 0,10 0,10 3,62
REGIÃO NORDESTE     1111,29 600,20 0,21 0,21 4,34
Maranhão            1140,88 601,20 0,04 0,04 4,86
Piaui 1138,40 756,39 1,21 1,21 4,83
Ceara 1108,55 639,84 0,51 0,51 4,43
Rio Grande do Norte 1101,62 555,18 0,63 0,63 4,47
Paraiba 1159,29 641,23 0,16 0,16 4,42
Pernambuco 1083,03 578,85 -0,15 -0,15 3,48
Alagoas 1093,99 546,65 0,23 0,23 3,32
Sergipe 1045,20 555,50 0,81 0,81 4,48
Bahia 1110,24 587,26 0,03 0,03 4,58
REGIÃO SUDESTE      1259,69 602,75 0,84 0,84 4,51
Minas Gerais 1147,13 631,15 2,64 2,64 6,74
Espirito Santo 1089,35 604,33 0,18 0,18 3,88
Rio de Janeiro 1330,14 606,56 0,43 0,43 2,78
São Paulo 1312,78 592,94 0,13 0,13 4,10
REGIÃO SUL          1249,57 597,47 0,17 0,17 4,65
Parana 1225,13 585,79 0,12 0,12 4,69
Santa Catarina 1351,73 732,17 0,20 0,20 4,09
Rio Grande do Sul 1192,18 541,25 0,22 0,22 5,16
REGIÃO CENTRO-OESTE 1202,51 613,85 0,09 0,09 3,87
Mato Grosso do Sul 1168,67 549,10 0,10 0,10 3,33
Mato Grosso 1207,07 688,57 0,05 0,05 4,78
Goias 1174,12 619,69 0,30 0,30 2,63
Distrito Federal 1259,31 556,20 -0,12 -0,12 4,68
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui