Custo do metro quadrado da Construção Civil no Maranhão é o mais caro do Nordeste, diz IBGE

0
456
Setor de Construção Civil foi o que mais admitiu no Maranhão no mês de setembro, segundo dados do Caged

Segundo o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Maranhão tem o mais elevado custo do metro quadrado do Nordeste, tendo registrado em junho uma variação de 0,55%, enquanto a nacional foi de 0,24 ponto percentual a taxa do mês anterior (0,11%). De acordo com os números, considerando a desoneração da folha de pagamento dos operários, o metro quadrado custou em junho R$ 1.104,52, e não considerando, R$ 1.179,76.

O IBGE apurou que a parcela dos materiais variou 0,45%, com alta de 0,06 ponto percentual (p.p.) em relação a maio (0,39%), porém, considerando o mês de junho do ano anterior (0,56%), observamos queda de 0,11 p.p.

Já a parcela da mão de obra, com variação de 0,24%, teve aumento significativo, 0,45 p.p., frente a taxa negativa do mês anterior (-0,21%). Em relação a junho de 2018 (0,61%), houve queda de 0,16 p.p.

No primeiro semestre do ano, os acumulados ficaram em 2,73% (materiais) e 1,15% (mão de obra). Em 12 meses, os acumulados estão em 6,51% (materiais) e 1,87% (mão de obra).

Regiões Norte e Nordeste – Com índices positivos em todos os estados da região Norte, e acordos coletivos observados no Norte e Nordeste (Acre e Pernambuco), essas regiões ficaram com a maior variação em junho, ambas com 0,54%. As demais regiões registraram os seguintes resultados: 0,18%, no Sudeste; 0,41%, no Sul; e 0,24%, no Centro-Oeste.

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.143,81 (Norte); R$ 1.058,57 (Nordeste); R$ 1.183,20 (Sudeste); R$ 1.182,70 (Sul) e R$ 1.132,97 (Centro-Oeste).

Sob impacto de reajuste previsto em convenção coletiva, Pernambuco (2,37%) foi o estado com a maior variação mensal, seguido pelo Acre (1,54%), também sob influência de acordo coletivo; e Rondônia (1,41%), com aumento na parcela dos materiais.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
junho/2019
 considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1.135,88 568,44 0,35 1,97 4,25
REGIÃO NORTE 1.143,81 569,97 0,54 1,94 6,42
Rondonia 1.178,64 657,19 1,41 2,08 4,92
Acre 1.267,62 672,89 1,58 2,75 7,91
Amazonas 1.105,74 541,43 0,47 1,99 6,71
Roraima 1.198,02 497,49 0,76 2,01 5,89
Para 1.134,80 543,91 0,30 1,93 7,02
Amapa 1.117,41 542,79 0,52 2,65 5,11
Tocantins 1.164,18 612,13 0,14 0,25 3,62
REGIÃO NORDESTE 1058,57 571,85 0,54 2,05 4,30
Maranhão 1.104,52 581,85 0,55 3,45 7,15
Piaui 1.084,64 720,81 0,06 2,80 3,86
Ceara 1.037,82 599,40 -0,29 0,23 2,11
Rio Grande do Norte 1.040,56 524,50 0,11 1,54 3,56
Paraiba 1.094,55 605,32 0,11 0,87 4,05
Pernambuco 1.041,09 556,66 2,37 2,72 3,23
Alagoas 1.030,16 514,75 -0,24 0,78 3,68
Sergipe 983,96 522,89 -0,19 1,51 4,18
Bahia 1.061,17 561,68 0,42 2,55 5,23
REGIÃO SUDESTE 1.183,20 566,46 0,18 2,16 3,74
Minas Gerais 1.083,28 596,13 0,15 3,99 5,60
Espirito Santo 1.028,87 570,65 0,76 1,54 3,67
Rio de Janeiro 1.256,27 572,52 0,57 2,56 4,40
São Paulo 1.226,40 553,96 -0,01 1,09 2,48
REGIÃO SUL 1.182,70 565,56 0,41 2,18 4,91
Parana 1.153,95 551,81 0,22 1,95 5,72
Santa Catarina 1.285,33 696,22 0,84 2,99 4,61
Rio Grande do Sul 1.132,04 513,83 0,28 1,71 3,92
REGIÃO CENTRO-OESTE 1.132,97 578,40 0,24 0,77 3,50
Mato Grosso do Sul 1.086,39 510,91 0,04 -0,57 2,05
Mato Grosso 1.133,60 646,72 -0,11 0,65 4,95
Goias 1.109,16 585,91 0,48 1,13 2,66
Distrito Federal 1.197,32 528,79 0,51 1,29 3,68
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.


SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
junho/2019
 não considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1.218,94 609,81 0,35 1,92 4,09
REGIÃO NORTE 1.221,14 608,55 0,52 1,88 6,22
Rondonia 1.258,00 701,38 1,32 2,15 4,85
Acre 1.355,90 719,65 1,80 2,89 7,94
Amazonas 1.181,10 578,52 0,44 1,85 6,61
Roraima 1.287,39 534,58 0,71 1,87 5,81
Para 1.209,81 579,62 0,28 1,83 6,66
Amapa 1.193,60 579,63 0,49 2,80 5,11
Tocantins 1.243,24 653,82 0,02 0,19 3,47
REGIÃO NORDESTE 1.132,14 611,51 0,56 2,10 4,25
Maranhão 1.179,76 621,68 0,51 3,45 7,12
Piaui 1.156,98 768,70 0,05 2,86 3,87
Ceara 1.106,03 638,36 -0,27 0,28 2,05
Rio Grande do Norte 1.111,51 560,13 0,10 1,53 3,45
Paraiba 1.167,45 645,66 0,10 0,85 3,85
Pernambuco 1.115,50 596,23 2,54 2,85 3,33
Alagoas 1.099,77 549,55 -0,23 0,76 3,59
Sergipe 1.051,86 559,06 -0,17 1,46 4,12
Bahia 1.138,74 602,32 0,39 2,60 5,10
REGIÃO SUDESTE 1.274,45 609,77 0,16 2,01 3,44
Minas Gerais 1.162,21 639,38 0,14 3,98 5,48
Espirito Santo 1.104,85 612,88 0,80 1,60 3,62
Rio de Janeiro 1.354,85 617,80 0,60 2,29 4,02
São Paulo 1.323,36 597,69 -0,04 0,93 2,16
REGIÃO SUL 1.273,30 608,84 0,39 2,08 4,77
Parana 1.245,63 595,69 0,19 1,81 5,54
Santa Catarina 1.387,48 751,54 0,84 2,85 4,41
Rio Grande do Sul 1.209,73 549,20 0,24 1,69 3,83
REGIÃO CENTRO-OESTE 1.210,04 617,72 0,23 0,72 3,42
Mato Grosso do Sul 1.160,95 545,48 0,02 -0,56 2,05
Mato Grosso 1.213,67 692,29 -0,10 0,59 4,83
Goias 1.183,65 624,72 0,48 1,11 2,57
Distrito Federal 1.275,71 563,45 0,46 1,18 3,52
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui