Decreto que impede entrada de pessoas no estado exige atenção redobrada em seis pontos

0
656

AQUILES EMIR

O decreto do governador Flávio Dino (PCdoB) que entra em vigor neste sábado (21) proibindo o tráfego de ônibus, vans etc que fazem o transporte interestadual de passageiros enfrenta dificuldades em pelo menos quatro pontos, onde o trânsito de pessoas entre cidades do Maranhão e estados vizinhos é mais intenso. O Maranhão faz divisa com Piauí (divididos pelo rio Parnaíba), Tocantins (divididos pelo rio Tocantins) e Pará (divididos pelo rio Gurupi).

A situação mais complicada é em Timon, que mesmo dividida de Teresina (capital do Piauí), estão numa espécie de zona metropolitana, com várias pessoas residindo de um lado e trabalhando do outro, portanto a passagem de pessoas vindas de outros estados pode se dar por táxi, ônibus coletivo, carro de aplicativo e até mesmo particular e a pessoa prosseguir viagem até seu destino final em ônibus intermunicipal.

A mesma situação, embora em intensidade bem menor, se dá entre Floriano (PI) e Barão do Grajaú (MA), onde a divisa do rio Parnaíba não impede um intenso entrosamento entre as duas populações. O mesmo se dá em Estreito (MA) e Aguiarnópolis (TO), cidades divididas pelo rio Tocantins, mas que são bem entrosadas, principalmente em função de Hidrelétrica de Estreito.

Saiba onde ficam os principais pontos de entrada e saída do Maranhão pela via terrestre:

  • Timon (MA) e Teresina (PI) – A cidade maranhense é separada da capital piauiense, Teresina, pelo rio Parnaíba. Os prefeitos de ambas estudam meios de controlar o fluxo de pessoas sem causar prejuízos a ambos os lados. “Esse é um trabalho de cada um daqueles que acreditam no tamanho que esse momento exige. A cidade de Timon vai precisar desse trabalho e apoio do Estado do Piauí e da cidade de Teresina, para que nós todos juntos possamos dar as mãos e vencer esse momento”, declara o prefeito Luciano Leitoa, de Timon.
  • Barão do Grajaú (MA) e Floriano (PI) – Localizadas no sul dos dois estados, as cidades são divididas pelo rio Parnaíba.
  • Araioses (MA) e Buriti dos Lopes (PI) – Do lado maranhense está o povoado de Pirangi e a ligação é a principal porta de entrada e saída por quem circula pela Rota das Emoções. roteiro integrado entre Lençóis Maranhenses, Delta das Américas e Jericoacoara.
  • Estreito (MA) e Aguiarnópolis (TO) – As duas cidades, divididas pelo rio Tocantins, estão mais entrosadas desde a construção e entrada em operação da Usina Hidrelétrica de Estreito. O abastecimento de ambas as populações depende desse fluxo de transporte e muitas pessoas trabalham de um lado e residem do outro.
  • Itinga do Maranhão (MA) e Dom Eliseu (PA) – Devido à proximidade, apesar da divisão pelo rio Gurupi, faz a cidade maranhense ter, proporcionalmente, a população com maior percentual de residentes de outros estados brasileiros, já que 23,7% da população do município não é natural do estado do Maranhão.
  • Boa Vista do Gurupi (MA) e Cachoeira do Pará (PA) – Divididas pelo rio Gurupi, as cidades é a principal passagem para quem trafega entre entre as capitais dos dois estados.

(Com fotos das Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Timon)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui