Em conversa flagrada por canal francês, Macron se queixa de Bolsonaro a Piñera

0
252

Uma conversa entre o presidente Emmanuel Macron e seu colega chileno, Sebastián Piñera, flagrada por cinegrafistas do canal francês CNews e divulgada pelo colunista Jamil Chade em seu blog no portal UOL, adicionou um novo capítulo à conturbada relação entre o francês e o presidente Jair Bolsonaro. Num diálogo rápido nos bastidores da cúpula do G7, ocorrida no final do mês passado, Piñera aparece perguntando ao francês sobre as atitudes do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que no dia anterior tinha feito comentários sobre a primeira-dama francesa.

“Foi incrível”, disse o chileno.

“Claro, eu tinha de reagir. Você entende?”

“Sim, eu concordo”, disse Piñera, que após o fim da cúpula esteve em Brasília, visitando o presidente brasileiro para demonstrar apoio na crise amazônica.

“Não é atitude de um presidente”: câmera flagra líderes internacionais inconformados com Bolsonaro

No dia 26 de agosto, Bolsonaro reagiu a mensagem de um apoiador nas redes, que zombava da aparência física da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, e a comparava à brasileira Michelle Bolsonaro. A francesa tem 66 anos; a brasileira, 37.

“Entende agora por que Macron persegue Bolsonaro?”, dizia a mensagem, referindo-se ao choque de Macron e Bolsonaro sobre a Amazônia. Bolsonaro —ou alguém que controla a sua conta do Facebook— comentou: “não humilha cara. kkkkkkk”.

A briga entre os dois começou após Macron levar às reuniões da cúpula do G7 suas preocupações sobre os incêndios que ocorrem na Amazônia. O francês acusou Bolsonaro de ter mentido em julho, durante seu discurso no G20, em Osaka, sobre as medidas de seu Governo para a preservação da Amazônia e do meio ambiente.

Macron já havia falado publicamente sobre os comentários de Bolsonaro sobre Brigitte. “Como sinto muita amizade e respeito pelo povo brasileiro, espero que tenha rapidamente um presidente que esteja à altura”, disse Macron em entrevista coletiva à imprensa no próprio 26 de agosto.

Na conversa informal com Piñera, Macri diz que tentou ser “pacífico”. “Eu queria ser pacífico. Queria ser correto, construtivo com o cara [Bolsonaro] e respeitar sua soberania. Tudo bem. Mas eu não poderia aceitar isso”, disse. Neste momento, a chanceler alemã Angela Merkel se aproxima dos dois líderes e diz “Não!”, concordando com Macron.

O vídeo ainda mostra Macron criticando Bolsonaro pelo episódio em que o brasileiro deixou de receber um ministro francês para cortar o cabelo. “Você sabe que quando meu ministro de Relações Exteriores foi lá?”, perguntou a Piñera. “Ele [Bolsonaro] deveria recebê-lo e cancelou no último minuto para ir cortar seu cabelo. E filmou a si mesmo. Desculpa. Mas isso não é a atitude de um presidente”, afirmou ao chileno.

(El País)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui