Em crise anunciada desde 2015, Big Ben fecha suas 19 lojas em seis cidades do Maranhão

0
1832

AQUILES EMIR

Em crise anunciada desde 2015, a Big Ben encerrou suas atividades no Maranhão nesta terça-feira (16). Presente em seis cidades maranhenses, onde contava com 19 lojas, a rede anunciou seu fechamento com um comunicado em suas portas, pegando de surpresa sua vasta clientela.

A Big Ben, pertencia ao Banco BTG Pactual, e sua rede era administra pela Big Pharma, empresa do grupo controlado pelo empresário André Esteves, um dos investigados pela Lava Jato. Um dos seus prováveis compradores é a WTorre, do empresário Paulo Remy, que seria um especialista em assumir negócios em dificuldades, know-how trazido da Galeazzi & Associados, empresa especializada em reestruturações.

O Grupo WTorre investe no Maranhão, pela WPorto, na construção de um Terminal de Uso Privado (TUP) na zona portuária de São Luís.

Quando criou a  BR Pharma o empresário André Esteves tentou montar uma gigante em farmácias a partir de aquisições realizadas em diferentes regiões do País, mas o negócio revelou-se de difícil retorno e a instituição teve de fazer aportes de capital no ativo. Em janeiro do ano passado, por exemplo, o BTG teve injetar cerca de R$ 400 milhões na empresa, numa tentativa de salvá-la da crise que já se anunciava.

O BTG já vinha se desfazendo de várias marcas na área de drogarias, como em novembro de 2015, quando fechou a Mais Econômica (repassada ao fundo Verti, por R$ 44 milhões); em 2016, foi a vez de a Rosário (vendida à Profarma).

Resultado de imagem para big ben imperatriz
Loja da Big Ben na cidade de Imperatriz: farmácia bate as portas

Ao passar o controle da BR Pharma adiante, o BTG sai do negócio sem receber nada, mas se livra de pesadas obrigações. Hoje, o negócio se resume às redes Big Ben, Farmácia Santanna e à cadeia de franquias FarMais. Somente para comprar a Big Ben de um grupo do Pará, o BTG gastou R$ 453 milhões, em novembro de 2011.

Não é a primeira vez que o BTG investe pesado num ativo para depois repassá-lo adiante com valor simbólico. A rede de varejo fluminense Leader, de apelo popular, foi vendida a R$ 1 ao advogado Fabio Carvalho. A Alvarez & Marsal assumiu a gestão. O jornal procurou a WTorre para falar sobre a entrada de Remy na BR Pharma, mas não obteve retorno. O BTG não quis comentar.

Veja a rede de lojas da Big Ben que havia no Maranhão:

Açailândia

  • Av. Desembargador Tácito de Caldas, 132, (91) 99317-2232

Caxias

  • Pça. Candido Mendes, 347 – D, (91) 99171-1845

Imperatriz 

  • Av. Getúlio Vargas
  • Rua Simplicio Moreira
  • Av. Bernardo Sayão
  • Rua Leoncio Pires Dourado, (91) 99155-1624

Santa Inês

  • Av. Luiz Muniz, 1171, (91) 99147-4011

São Luís

  • Calhau (Av. dos Holandeses)
  • Cidade Operária (Rua 203 LD, 01)
  • Cohab (Av. Gerônimo de Albuquerque)
  • Cohama (Av. Daniel de La Touche)
  • Cohatrac I (Av. Contorno Leste)
  • João Paulo (Av. Getúlio Vargas)
  • Renascença II (Av. Jornalista Miercio Jorge)
  • Rua Grande (Centro)
  • São Francisco (Av. Marechal Castelo Branco)
  • Turu (Av. São Luis Rei De França)
  • Vinhais (Av..Jerônimo de Albuquerque)

Timon

  • Av. Presidente Medici, 302, (91) 99115-1453

(Com dados do JC online)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui