Embrapa leva Projeto Hortas Pedagógicas para duas escolas em São Luís

0
549

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cocais) está desenvolvendo em São Luís o projeto Hortas Pedagógicas, que faz parte da parceria com o Ministério da Cidadania (ex-Ministério do Desenvolvimento Social – MDS)  como ferramenta para contribuir  com a melhoria da segurança alimentar e nutricional de comunidades do Maranhão e do Piauí que apresentam alto índice de vulnerabilidade social.

No Maranhão, são responsáveis pela execução do projeto a Embrapa Cocais, secretarias municipais de Educação, de Segurança Alimentar, Planejamento e de Agricultura de São Luís; Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Ministério da Educação.

No Maranhão, as hortas pedagógicas serão implantadas como piloto em duas escolas públicas municipais da capital (as unidades básicas Jackson Kepler Lago, na Cidade Operária, e Major Augusto Mochel, no bairro Maracanã), selecionadas devido às suas ações no âmbito da sustentabilidade ambiental e educação nutricional.

Na metodologia proposta para implantação do projeto, as hortas funcionam como sala de aula aberta e interdisciplinar, nas quais disciplinas básicas e temas transversais podem ser abordados, de forma prática, em conjunto com os aspectos agronômicos.

Motivação – Maranhão e Piauí foram selecionados para implantação da etapa piloto do projeto devido aos baixos indicadores sociais. No Maranhão, 9,0% da população apresentam rendimento domiciliar per capita de até R$ 70,00 reais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto a média do Brasil é de 2,5%. A renda per capita e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) indicam também que o Maranhão tem indicadores sociais significativamente inferiores aos do Brasil.

Enquanto a renda per capita brasileira está na média de R$ 1.113,00, a maranhense é cerca de R$ 509,00. Quanto ao IDH, o do Brasil é de 0,755 e, o do Maranhão, de 0,639 (PNUD, 2014). Os índices mais distoantes do Maranhão em relação aos do Brasil quanto à renda e ao IDH se repetem quanto à condição de Segurança Alimentar e Nutricional.

Execução – Este ano, serão realizadas capacitações dos profissionais envolvidos (técnicos, professores, merendeiras, nutricionistas que atendam a escola, diretor/a, coordenadores/as, auxiliares de serviços gerais, entre outros) e alunos e pais interessados (a comunidade escolar, como um todo) sobre as técnicas agrícolas para produção de hortaliças (plantio, colheita, pós-colheita, armazenamento e conservação), assim como assuntos relacionados à educação ambiental, gestão de resíduos, compostagem, novas técnicas de preparo de alimentos dentro dos princípios higiênico-sanitários, nutrição equilibrada e saudável.

Parte desses treinamentos teóricos será realizada por meio de vídeo aulas e cartilhas. Estão previstas ainda, ações de comunicação, para o envolvimento da comunidade local. O projeto terá duração até final de 2020, podendo ser prorrogado, se houver interesse entre as partes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui