Flávio Dino recua e diz que defende a candidatura do ex-presidente

0
736

AQUILES EMIR

Após a repercussão negativa junto aos militantes de partidos ditos de esquerda, mas recebida como sensata por analistas políticos, o governador Flávio Dino (PCdoB), que havia sugerido a retirada de todas as pré-candidaturas de PT, PCdoB e PSol para uma união em torno de Ciro Gomes (PDT), deu uma nova versão de seu ponto de vista em sua página no Facebook . Na entrevista ao jornal paulista, Dino é categórico ao dizer que Lula está inabilitado e não tem outro nome para unir a esquerda(leia reportagem aqui).

O governador chega a perguntar qual o sentido dessas candidaturas e diz que  não acredita mais na viabilidade de Lula, que está preso em Curitiba (PR), cumprindo pena por crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo o governador, “repetindo o que tenho dito”, defendo a candidatura de Lula e que todo o campo popular o apoie. Caso Lula não consiga ser candidato, defendo a unidade do lulismo em torno do melhor posicionado, para tentar ir ao 2º turno e ganhar a eleição”.

Ainda de acordo com Flávio Dino, “a esquerda brasileira tem que decidir o que quer em 2018: “marcar posição” e disputar ´heranças` ou vencer as eleições. É possível vencer. Mas antes de tudo é preciso querer vencer. Vencer com Lula como líder maior, em qualquer cenário que se concretize”.

Ele prossegue dizer que “a melhor opção para o Brasil é que a esquerda opte por tentar vencer nas urnas. Para conter os retrocessos sociais, econômicos e políticos. Essa é a nossa responsabilidade com o Brasil. E a maior prova da solidariedade com Lula é tentar vencer nas urnas”.

Para ele, existe um “centro” na sociedade que tem ser (re)conquistado. “Isso não ocorrerá com slogans, isolacionismo, exclusivismo, pretenso radicalismo. É preciso colocar na frente o compromisso com o Brasil”.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação