Flávio Dino diz que Bolsonaro vai cometer muitos erros e elogia Temer

1
560

AQUILES EMIR

Na entrevista concedida ao jornalista João Pedro Pitomba e publicada na edição desta segunda-feira (07) pelo jornal Folha de São Paulo, o governador Flávio Dino (PCdoB) dá uma de profeta do caos ao prever crescimento econômico baixo em 2019 e muitos erros no governo de Jair Bolsonaro (PSL), o que serviria para o refortalecimento das esquerdas. “O governo que assumiu, infelizmente, vai cometer muitos erros”, disse ele.

Flávio Dino, que é crítico impiedoso a seus adversários, criticou o presidente Bolsonaro, por este ter chamado o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), de radical quando anunciou o envio de forças federais a Fortaleza para conter a onda de violência. “Achei muito estranho, esquisito”, pontuou, acrescentando que o presidente, “que tem uma espécie de amor pela guerra”, trata envio da Força Nacional como se fosse um favor. “Não é um favor, é um dever, uma obrigação. São os estados que mantêm a Força Nacional”.

Num outro trecho da entrevista, questionado sobre como pretende obter recursos voluntários do Governo Federal para realização de obras no Maranhão, o governador disse que não faz planejamento contando com dinheiro da União. “Não está na minha contabilidade. Se aparecer, ótimo”. Segundo ele, o que espera do governo federal é que faça sua parte, “garantindo estabilidade e crescimento da economia”.

Pela primeira vez, Flávio Dino tece elogios ao ex-presidente Michel Temer (MDB), a quem fez oposição constante e ferrenha nos seis dois anos e meio de governo, ao manifestar desejo de uma relação cordial e institucional, apesar de estarem em campos ideológicos opostos, com Bolsonaro. “Nosso desejo é que a relação com o novo governo se dê normalmente como aconteceu com Michel Temer. Fui oposição a Temer, mas tivemos uma relação institucional absolutamente normal”, frisou. Nos dois anos e meio em que Temer foi presidente, Flávio Dino nunca participou sequer de uma reunião com ele, já que sempre pedia para o vice, Carlos Brandão (PRB), representá-los nos encontros institucionais.

“Ninguém do nosso campo pode ser contra o maior partido da oposição e o maior líder popular da história desse país”, disse Flávio sobre Lula e o PT

Sucessão – Pela primeira vez, desde a campanha eleitoral, quando assegurava que todos os pagamentos do Estado estavam em dia, ele admite que o governo deve a fornecedores, “mas nada alarmante”. O governador também enalteceu o fato de vir pagando os servidores públicos em dia, o que ocorre no Maranhão desde 1987, quando Epitácio Cafeteira assumiu o comando do Estado. Com os bancos, também diz manter pagamentos regulares. “Conseguimos terminar o primeiro mandato com os salários dos servidores em dia e com as dívidas com os bancos sendo pagas normalmente”.

Apontado, internamente, como pretenso candidato a sucessor de Bolsonaro, já tendo inclusive página no Facebook fazendo sua campanha, Flávio Dino desconversou quando indagado sobre as possíveis candidaturas a presidente para 2022 no campo das esquerdas. “É muito cedo para discutir isso. Temos que saber qual o futuro de Lula, como Ciro vai se comportar, se Haddad vai manter a liderança que conquistou com a eleição. Vamos esperar o curso do processo político. Tenho certeza que sentimento da sociedade será transformado”, anunciou para finalizar prevendo os muitos erros do atual governo.

 

1 COMENTÁRIO

  1. kkkkKkkkk Tá de brincadeira governador! O Temer não é mais um golpista, nem corrupto, nem incompetente.. Essa súbita e estranha cordialidade é só porque o novo governo do Brasil está devassando a gestão dele governador Flávio Dino, e Sua Excelência quer angariar simpatizantes!!? No tocante às suas previsões genéricas a respeito do Governo Bolsonaro, qualquer um faria!! Aposto que Jerry vai já botar em “release” os seus obedientes jornais, blogueiros e jornalistas para repicar simultaneamente essa canhestra entrevista concedida à Folha de São Paulo, aguardem!!! Kkkkkkkkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui