Deputados descontantes com PDT e PSB pedem desfiliação no TSE

0
144

O deputado Gil Cutrim e outros três filiados ao PDT, além de três do PSB, anunciaram nesta terça-feira (15) que vão pedir a desfiliação de seus partidos junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além Cutrim, integram o grupo Tábata Amaral (PDT-SP), Marlon Santos (PDT-RS), Flávio Nogueira (PDT-PI), Felipe Rigoni (PSB-ES), Rodrigo Coelho (PSB-SC) e Jefferson Campos (PSB-SP), que, contrariando orientação de suas legendas, votaram a favor da reforma da Previdência.

O grupo informou, numa coletiva de imprensa, os pedidos de desfiliação serão individuais, com cada um citando o motivo para o desligamento. Todos devem alegar justa causa, para que não corram o risco de perderem o mandato.

Tabata Amaral (PDT-SP) criticou o modelo adotado pelo seu partido. Segundo ela, “não funciona quando a gente quer a boa política”. Ela classificou de “arbitrária” a decisão do PDT de fechar questão sobre determinadas pautas sem “a devida leitura” do texto.

Felipe Rigoni (PSB-ES) disse que antes de se filiar, era membro do “Movimento Acredito” e firmou uma carta de independência que dizia que ele teria uma independência programática e política de atuação enquanto filiado do PSB. Ele tentou justificar o voto na reforma da Previdência afirmando que o texto não era o que foi enviado inicialmente pelo governo.

“Não era o texto que previamente o PSB tinha fechado questão, mas era um outro texto que atendia, sim, todas as requisições, proposições que a oposição colocava como um todo”, afirmou.

(Com informações do Brasil 247)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui