Hapvida anuncia novas aquisições e se fortalece mais ainda nacionalmente

0
340
Hapvida já é a maior operadora de saúde nas regiões Norte e Nordeste (Foto Portal do Holanda)

Após a incorporação do Grupo São Francisco e anunciar, domingo (09), a aquisição também do Grupo América por R$ 426 milhões, a Hapvida teve suas ações na Bolsa valorizadas em 3,4%, e seu valor de mercado chegou próximo dos R$ 26 bilhões. Para os investidores e analistas, os recentes anúncios mostram que a operadora deixou de ser apenas regional e se transformou numa empresa de renome nacional.

“As operações da Hapvida sempre foram concentradas apenas no Norte e no Nordeste. Desde o seu IPO havia dúvida de que a empresa seria capaz de expandir suas operações para outras regiões. A aquisição mostra que ela está realmente comprometida em se tornar relevante a nível nacional”, disse a analista Mariana Ferraz, da Eleven Financial, numa entrevista ao Informoney.

Fundada em Fortaleza (CE), o Hapvida, que por muitos anos foi líder de mercado no Norte e Nordeste, fez a primeira oferta ao Grupo América em abril de 2018 já como plano de se expandir suas operações no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país.

Para seu fortalecimento no Centro-Oeste primeiro adquiriu o grupo São Francisco, por R$ 5 bilhões, garantindo sua presença em quase todo o estado de Goiás (com exceção da capital), mas com a compra do América entrou em Goiânia, Anápolis e Aparecida.

Com as duas mais recentes aquisições, a Hapvida passa a marca de 6 milhões de beneficiários de saúde e odontologia em todo o país. Não para por aí, pois a operadora já anuncia também a compra de um hospital em Juazeiro do Norte (CE), fortalecendo-se mais ainda em seu estado de origem.

A Hapvida iniciou recentemente a operação na região Sul, com a inauguração de um hospital em Joinville (SC), em abril. O espaço, de 20 mil metros quadrado, tem capacidade para atender desde casos mais simples até os mais complexos. A cidade foi escolhida por ser a maior em Santa Catarina, além de quase 80% de seus domicílios fazerem parte das classes B e C, em que a Hapvida atua.

Apesar das recentes aquisições, a Hapvida já falou que não vai parar por aí. Em entrevista ao jornal Valor Econômico o presidente afirmou que agora pode focar em empresas menores e comprar operadoras não verticalizadas. A ver se as novas notícias continuarão animando o mercado.

(Com informações do Informoney)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui