Incra implanta projeto de dessalinização com uso de energia solar

0
536
A superintendência do Incra no Médio São Francisco, com sede em Petrolina (PE), implantou projeto-piloto de dessalinização solar no assentamento Portelinha, no município de Santa Maria da Boa Vista. São quatro unidades capazes de produzir até 100 litros de água potável por dia, a baixo custo, sem uso de eletricidade, elementos filtrantes ou produtos químicos.
O projeto é resultado do convênio com a prestadora de assistência técnica contratada pela autarquia para atuar na região. A aplicação de recursos previstos na modalidade Semiárido do Crédito Instalação, oferecido pelo Instituto, permite aos agricultores acessar até R$ 5 mil, por família, para atendimento de necessidades de segurança hídrica.
O financiamento é disponibilizado a famílias de assentamentos localizados em áreas circunscritas ao Semiárido, reconhecidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São apoiadas soluções de captação, armazenamento e distribuição de água para consumo humano, animal e produtivo.
Em Portelinha, cada dessalinizador custou cerca de R$ 1 mil reais. Com fabricação simples e de fácil replicação, o modelo – reconhecido como tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil (FBB) – consta em um banco de tecnologia online, podendo ser replicado em qualquer parte do país, desde que a região tenha potencial solar para evaporação de água.
Trata-se de uma caixa construída com placas pré-moldadas de concreto e cobertura de vidro, que possibilita a passagem da radiação solar. Dessa forma, ocorre o aumento da temperatura dentro da caixa e a água evaporada, armazenada em uma lona encerada, como lona de caminhão, é escorrida para o reservatório.
Resultado de imagem para energia solar.familia rural
Benefícios – O assentado Antônio de Assis é enfático ao dizer que a tecnologia assegura a permanência das famílias no campo. “Aqui nós temos um poço com excelente vazão, de 4 mil litros de água por hora, no entanto, não é adequada para consumo humano, e nem para os animais, de tão salobra (salgada), mas com o dessalinizador tudo melhorou”, comemora.
Outro benefício da tecnologia citado pelo agricultor é o fato dos moradores do Semiárido conseguirem manter seu modo de vida, desenvolvendo atividades que permitam sustentar as famílias sem a necessidade de deslocamento ou custeio de carros-pipa com água potável. “Antes, tínhamos que comprar água ou então ficar solicitando ajuda da prefeitura. Agora, estamos com mais independência para cuidar das nossas vidas, usando a água do poço para agricultura e a água dessalinizada para o nosso consumo e dos animais”, acrescenta.
Portelinha – O assentamento Portelinha foi criado em 2013. É localizado em uma área de sequeiro, onde quatro famílias de agricultores familiares vivem e produzem. Cada uma foi beneficiada com um lote de 32 hectares, nos quais trabalham com pequena irrigação realizada com recursos da modalidade Semiárido do Crédito Instalação.
A criação de animais de pequeno porte também faz parte das atividades desenvolvidas pelos assentados, que obtêm renda mensal aproximada de um salário mínimo e meio.
(Incra)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui