Empresas interessadas no TAC do Cunha Machado apresentam suas propostas

0
643

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) recebe, terça-feira (15), as propostas das empresas interessadas na concessão de uso de área para exploração comercial e operacional do Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís.

A empresa vencedora será a responsável pela atividade de armazenagem e movimentação de cargas nacionais e internacionais do local. A iniciativa faz parte do posicionamento estratégico da estatal, que prevê a exploração comercial dos complexos logísticos situados nos aeroportos que administra.

A área licitada é de 2.617,33 m², com preço mínimo mensal de R$ 25 mil, e prazo contratual de 120 meses, sem investimento, contados a partir da data de assinatura do contrato. O complexo é alfandegado, estando, assim, capacitado para além das operações de carga nacional, as de cargas internacionais, de importação e exportação. Por se tratar de uma concessão sem obrigatoriedade de investimentos, o vencedor deverá arcar com eventuais adequações estruturais e futuras ampliações mediante autorização da Infraero.

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento de Negócios em Soluções Logísticas da Infraero, Edson Antunes Nogueira, o terminal ainda conta com uma consolidada carteira de clientes e uma série de soluções logísticas pensadas para cada tipo de negócio.

“A diversidade das cargas movimentadas no complexo logístico do Aeroporto de São Luís enfatiza a importância do espaço para o bom funcionamento da cadeia logística na cidade. A capital maranhense também tem um importante potencial comercial e de atração de negócios internacionais, tendo em vista posição geográfica, estratégica, além da possibilidade de atração de voos internacionais”, destacou Edson Nogueira.

O Teca do Aeroporto São Luís está localizado estrategicamente na entrada da capital maranhense pela BR 135 (principal rodovia de acesso à cidade), a uma distância de 20 km dos principais portos da cidade (Itaqui e Ponta da Madeira), da Ferrovia Carajás e do Distrito Industrial, onde estão as principais indústrias exportadoras e importadoras da cidade.

Terminal de carga de São Luís (Foto: Divulgação/Infraero)

O terminal representa um elo crucial na cadeia de transporte e armazenamento de São Luís, cobrindo a carência de Estações Aduaneiras Interiores (EADI) não portuárias na cidade e permitindo a integração a diversos modais logísticos. Os detalhes do processo, publicado em 2 de maio, podem ser acessados aqui.

Rede Teca – A rede de terminais de logística de carga da Infraero possui, em seu parque tecnológico, equipamentos de última geração e moderna e completa infraestrutura para receber os mais diversos tipos de carga e garantir que sejam movimentadas e armazenadas com agilidade e total segurança. Esses terminais contam com câmaras frigoríficas, áreas especiais para cargas valiosas, material radioativo e demais artigos perigosos.

A estatal é uma das maiores operadoras de terminais aeroportuários do mundo e movimenta cerca de R$ 40 bilhões em cargas processadas por ano, com carteira de mais de 11 mil clientes. As operações dos terminais de logística de cargas da Infraero apresentaram crescimento de 19,5%, saltando de 104,5 mil toneladas em 2016 para 124,8 mil toneladas em 2017. O destaque foi o setor de importações, com incremento de 24,6%, chegando a 85,5 mil toneladas.

(Com dados da Infraero e fotos da Latam (principal) e Infraero)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui