Instalada na Câmara Federal Frente Parlamentar do Patrimônio Histórico

0
240

Ao participar nesta quarta-feira (04), do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Histórico Nacional, de iniciativa do deputado Hildo Rocha (MDB-MA), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destacou a importância da frente para a valorização da história do país, e consequentemente, o desenvolvimento do turismo nacional. Para o deputado, esta é mais uma iniciativa sua em favor da valorização da cultural nacional.

“A frente vem num momento muito importante ao turismo nacional. Digo isso, devido a alguns avanços que o setor vem alcançando nesses últimos meses. Ela será fundamental para que possamos aprimorar ainda mais esses patrimônios e, consequentemente, o número de turistas em nosso país”, celebrou o ministro.

Segundo Hildo Rocha, a proposta da Frente é apoiar e fortalecer as instituições federais, estaduais e municipais responsáveis pela defesa da memória do país. Além disso, ela irá acompanhar, no Congresso Nacional, a tramitação de propostas que aprimorem a legislação da área.Câmara dos Deputados. O deputado é autor também da eleição de São Luís como capital nacional do Bumba-meu-boi.

04092019FrenteParlamentar.jpg
Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (ao centro com a presidente do Iphan, Kátia Bogéa) com autoridades e parlamentares no lançamento da Frente (Beto Barata/MTur)

Álvaro Antônio ainda recordou que o presidente, Jair Bolsonaro, assinou em abril deste ano, o decreto que institui a Política Nacional de Gestão Turística do Patrimônio Mundial Natural e Cultural. “Portugal já tem adotado essa medida muito bem, tornando esses imóveis em destinos turísticos e tem dado certo. E é o que pretendemos fazer aqui no Brasil”, finalizou.

De acordo com dados do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o Brasil conta hoje com 22 patrimônios culturais e naturais. Recentemente, as cidades de Paraty e Ilha Grande foram reconhecidas pela Unesco como Patrimônio Misto do Brasil.

O título foi o primeiro do país deste tipo. Com cerca de 85% da cobertura vegetal nativa bem conservada, a área forma o segundo maior remanescente florestal do bioma Mata Atlântica e é cercada por quatro áreas de conservação ambiental, além de ser palco de um dos principais centros históricos e culturais do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui