Justiça dá cinco dias para Flamengo se defender sob pena de interdição total no Ninho do Urubu

0
352
Centro de treinamento presidente George Helal, conhecido com Ninho do Urubu, é utilizado pela equipe de futebol do Flamengo. Foto da bandeira destruída depois de um incêndio.

A Justiça do Rio de Janeiro garantiu ao Clube de Regatas do Flamengo um prazo de cinco dias para se defender e impedir a interdição total do Centro de Treinamento do Ninho do Urubu e o arresto de R$ 57,55 milhões.

Os pedidos de interdição e de bloqueio dos bens foram feitos pelo Ministério Público Estadual e pela Defensoria Pública do Estado, no último dia 20.

Um incêndio atingiu um dos alojamentos do centro de treinamento, no último dia 8, matando dez atletas de base do clube e ferindo outros três.

O Ministério Público e a Defensoria pediram a interdição até que as instalações estejam completamente seguras e regularizadas junto ao Corpo de Bombeiros e prefeitura do Rio. Já o arresto foi solicitado para que seja viabilizada a indenização dos familiares das vítimas, pedida pela Defensoria.

O juiz Bruno Monteiro Rulière atendeu a um pedido do Flamengo para que o clube tenha o prazo para se defender.

Proposta – A imagem do Flamengo, clube de maior torcida do Brasil, está arranhada depois de mais uma reunião frustrada, nesta quinta-feira (21), com familiares das vítimas do incêndio no centro de treinamento Ninho do Urubu, dia 08 deste mês.

Os pais dos adolescentes mortos reclamaram do tratamento que os dirigentes estão dando a eles, pois analisam a questão “de forma desumana”.
A proposta do Flamengo para indenizar os dez mortos é uma soma de R$ 400 mil por família e um salário mínimo mensal pelo prazo de dez anos. Os parentes exigem um acordo com base na proposta da Defensoria Pública e do Ministério Público, que seria de R$ 2 milhões por família mais R$ 10 mil mensais de pensão até a data em que cada uma das vítimas completasse 45 anos.
A soma de todos os valores daria R$ 57 milhões, mas o Flamengo acha muito, porém é menos do que pagou para tirar o atacante uruguaio Arrascaeta do Cruzeiro, no início do ano, cujo passe custou ao clube R$ 63 milhões. Leia blog CONVERSA FRANCA.
(Da Agência Brasil e El País)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui