Luiz Gonzaga Beluzzo e Flávio Dino participam nesta segunda de debate sobre bancos públicos

0
300

Após passar, em 2018, por São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Teresina (PI), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Natal (RN), a série “Diálogos Capitais” realiza nesta segunda-feira (14), a partir das 18h30, no Convento das Mercês, em São Luís, o debate “Bancos públicos sob ataque: desafios, riscos e perspectivas”. O evento é promovido pela Fenae, em parceria com a revista CartaCapital e conta com apoio do Governo do Estado.

Entre os participantes já confirmados estão o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira; o governador o Maranhão, Flávio Dino; e o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, professor doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade de Campinas (Unicamp). Eles e os demais convidados vão tratar das privatizações prometidas pelo governo Jair Bolsonaro e o futuro dos bancos públicos. O debate será transmitido ao vivo nos perfis da Fenae e da CartaCapital no Facebook.

“O que temos hoje é um cenário de sérias ameaças às empresas públicas. No caso da Caixa, o que o governo quer é fatiar a empresa e entregar áreas importantes para o setor privado, a exemplo de seguros, cartões e loterias. E para conseguir o apoio necessário, começou um processo para manchar a imagem do banco perante a opinião pública. Vamos resistir! E o primeiro passo é debater o assunto, disseminar informações verdadeiras e trazer a sociedade para essa luta”, afirma Jair Pedro Ferreira.

Sem sentido – A Fenae lançou em outubro do ano passado a campanha “Não tem sentido”, cujo objetivo é mobilizar os empregados da Caixa e a sociedade mostrando que o banco precisa continuar 100% público, forte, social e a serviço dos brasileiros. E fazer parte é muito simples! Por meio do site www.naotemsentido.com.br é possível enviar vídeos ou escrever depoimentos opinando por quais motivos a empresa não pode ser privatizada ou enfraquecida.

Em manifesto divulgado por ocasião do lançamento da campanha, a Federação destaca que não tem sentido jogar fora conquistas importantes. “Poupança, penhor, habitação, FGTS, programas sociais inovadores, eficientes e reconhecidos no mundo inteiro. Em 157 anos de existência a Caixa consolidou o seu protagonismo no desenvolvimento econômico e social do Brasil”. E ainda: “Quem defende a privatização da Caixa, seja de todo o banco ou seja em partes, não tem o menor compromisso com o Brasil e com os brasileiros”.

SERVIÇO:

  • Evento: Diálogos Capitais São Luís
    Data e hora: 14/01 (segunda-feira), de 18h30 às 21h
    Local: Convento das Mercês, Auditório Pe. Antonio Vieira – Desterro
    Obs.: Entrada franca. E transmissão ao vivo pelo Facebook da Fenae e da CartaCapital

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui