Lula diz que Lava Jato elege criminoso para procurar o crime

0
580

Ao participar nesta sexta-feira (24), em São Paulo, do seminário “O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil”, organizado pelo Partido dos Trabalhadores, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente a a conduta do juiz federal Sérgio Moro, que preside a operação, e os demais responsáveis pelos seus desdobramentos. Segundo Lula, a “Lava Jato é uma moeda que tem a cara da Globo, de outros jornais, da Polícia Federal, do Sérgio Moro e não tem a cara do povo que tá sendo prejudicado”.

Na opinião do ex-presidente, a Lava Jato ela não precisa do crime. “Primeiro acham os criminosos e depois ela (a operação) tenta colocar o crime em cima do criminoso”, disse ele, acrescentando que o incomoda muito “primeiro criminalizarem a pessoa e depois ficarem procurando um crime para essa pessoa”.

Segundo Lula, não apenas os condenados de forma antecipada pela operação têm receios dos desdobramentos da Lava Jato e o futuro do País. “Quando se trata de denúncia de corrupção, a primeira reação das pessoas é ficarem com medo. A sociedade está com medo. Ninguém sabe o que pode acontecer amanhã”, afirmou.

O ex-presidente lembrou, que na entrevista coletiva de imprensa convocada pelo procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato, “eles fizeram a coisa mais sem vergonha que aconteceu nesse País”. Conforme sua interpretação, “um juiz que precisa da imprensa para execrar as pessoas junto à opinião pública, para depois facilitar o julgamento”.

Mais de um ano após ser conduzido coercitivamente e ter sido alvo de busca e apreensão, Lula lembrou que a Polícia Federal ainda não devolveu os tablets dos netos. Ele ainda disse que a polícia não tem critério. “Na certa eles vão tentar encontrar um jeito de dizer que meus netos estavam trabalhando em alguma coisa na Lava Jato”, ironizou.

Lula voltou a defender que não tem nada a temer em relação às investigações. “Eles deram azar porque foram mexer com quem não deveriam ter mexido. Nem Moro, nem Dallagnol têm a lisura e a ética que eu tenho nesses 70 anos de vida”.

“Quero ver qual vai ser o crime imputado a mim. Eu tenho dito todo santo dia: eu duvido que tenha um empresário que diga um dia que o Lula pediu 10 centavos. Não é porque sou santo não, é porque tenho critério político”.

Ao final de sua fala, Lula garantiu que irá até o fim para defender sua honra e informou sobre o depoimento que prestará à Justiça Federal em maio. “Eu vou nessa briga até o fim. Eu não tenho negociata. Pode ter certeza que eu vou brigar até as últimas consequências. Dia 3 eu tenho depoimento em Curitiba e estarei lá. Nunca achei que eu merecia algum privilégio”.

(Com dados e imagem do PT)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui