Maranhão vai colher 4,4 milhões de toneladas de grãos em 2017

0
884

AQUILES EMIR

A produção agrícola do Maranhão em 2017 deve ultrapassar as 4,453 milhões de toneladas de grãos, segundo estimativa da safra divulgada nesta quinta-feira (09) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Pela projeção, a evolução será de 79,5% na comparação com a colheita da safra 2015/16, que foi 2,481,7 milhões de toneladas.

Um dos principais fatores que contribuem para esse crescimento é a elevação da produtividade, que deve passar de 1.748 para 2.802 quilos por hectare, o que representa uma variação de 60,4%. O crescimento da área plantada foi 11,9%, ou seja, aumentou de 1,420 milhão para 1,588 milhão de hectares.

O principal destaque na colheita 2016/17 é para a soja, que terá um crescimento de 111,7% na comparação com a safra anterior, quando foram colhidas 1,250 milhão de toneladas e este ano deverão ser 2,648 milhões de toneladas. Outro crescimento expressivo é da cultura do milho, que vai pular de  874,4 mil toneladas para 1,554 milhão em 2017, o que representa uma evolução de 77,8%.

Quanto ao feijão, a Conab estima uma perda de 13,7%, pois de 39,3 mil toneladas diminuirá para 33,9 mil toneladas. Queda mais expressiva, segundo a medição da Conab, é do arroz, cuja colheita cairá de 268,3 mil para 164,3 mil toneladas, uma diminuição de 38,8%.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgou sua projeção para a safra 2017 e, mesmo não tendo detalhado a estimativa por estado, aponta o Maranhão na 10ª posição entre os estados mais produtores (veja gráfico).

Brasil – Sobre a produção nacional, o IBGE informa que a sua estimativa para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2017 totalizou 221,4 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 20,3% em relação à safra 2016 (184,0 milhões de toneladas). A área a ser colhida estimada (59,9 milhões de hectares) cresceu 4,9% frente a 2016 (57,1 milhões de hectares).

Juntos, arroz, milho e soja, os três principais produtos deste grupo, representaram 93,5% da estimativa da produção e 87,4% da área a ser colhida. Em relação a 2016, houve acréscimos na área estimada da soja (1,9%), do milho (10,3%) e do arroz (1,2%). Já a produção esperada cresceu, respectivamente, 11,8%, 38,9% e 10,0%. Em relação a 2016, são esperados aumentos na produção de todas as regiões: 25,2% no Centro-Oeste, 9,4% no Sul, 10,0% no Sudeste, 89,0% no Nordeste e 16,0% no Norte.

A Conab, por sua vez, informa que a produção nacional de grãos deve crescer 17,4% na safra de 2016/2017, com um aumento de 32,5 milhões de toneladas em relação à safra anterior. A estimativa é de um recorde de 219 milhões de toneladas.  A evolução se deve principalmente ao aumento da produtividade média das culturas, em recuperação às condições climáticas desfavoráveis da safra passada. Além disso, esse levantamento inclui a área de culturas de segunda safra. A área total tem perspectivas de ampliação de 2,1%, podendo chegar a 59,5 milhões de hectares em relação à safra 2015/2016.

Para a soja, a projeção é de crescimento de 10,6% na produção, podendo atingir o recorde de 105,6 milhões de toneladas, e ampliação de 1,6% na área.

O milho total deve atingir 87,4 milhões de toneladas, sendo 28,8 milhões para a primeira safra e 58,5 milhões para a segunda. A segunda safra de milho, entretanto, pode ser alterada, já que ainda está sendo plantada. A ampliação da área total de milho deve ultrapassar os 11 milhões de hectares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui