Brasileiros vão às ruas pedir prisão após condenação em segunda instância

0
715
Jurista Modesto Carvalhosa discursa contra decisão do Supremo em manifestação na Avenida Paulista (MBL)

Um dia após a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros condenados, milhares de pessoas ocuparam as ruas das principais cidades brasileiras para manifestar apoio à condenação após julgamento em segunda instância. Embora já estivesse com direito de sair da prisão para cumprir o semiaberto, o ex-presidente saiu após julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que proibiu prisão antes da apreciação do caso em todas as instâncias da Justiça.

Diversas cidades, o Movimento Vem pra Rua e o Movimento Brasil Livre (MBL) reuniram manifestantes no Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul entre outros estados.

Na capital paulista, a concentração foi no quarteirão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista. Em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, populares também protestaram pela volta da prisão após segundo grau. O jurista Modesto Carvalhosa também participou do ato nesta tarde.

No Rio, o Vem Pra Rua reuniu poucas pessoas na praia de São Conrado, na Zona Sul, para protestar contra o STF, que na última quinta-feira (07) determinou por 6 votos a 5 o fim da prisão da prisão após condenação em segunda instância. A decisão acabou permitindo a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há um ano e sete meses, nesta sexta (8). Nas ruas, podia-se ver cartazes contrários à liberdade do petista.

Os manifestantes se reuniram em torno de um carro de som e ocuparam cerca de um quarteirão da praia de São Conrado, em frente ao prédio onde mora o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. A maioria vestindo de verde e amarelo e com bandeiras do Brasil.

Nos cartazes, os recados eram direcionados ao STF e os políticos. “Prisão em segunda instância sim, impunidade não”, “Lula volta para a cadeia”, “Meu partido é o Brasil” e “A nossa bandeira jamais será vermelha”.

Em Recife, quem participou dos movimentos protestou para que o Congresso aprove a PEC que permite a prisão após segunda instância, que deve ser votada nesta segunda-feira (11) na CCJ da Câmara. Os cartazes carregados pelos presentes apoiam o ministro da Justiça, Sergio Moro, e mostram indignação com a decisão do Supremo.

“Esse 6 x 5 causou mais vergonha que o 7 x 1”, dizia um dos cartazes carregado por um manifestante, se referindo ao resultado da votação do STF. Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, também há protesto na região central da cidade. Em Brasília, manifestantes se reuniram na praça dos Três Poderes pedindo o fim da corrupção e pressionaram o Congresso pela aprovação da PEC que tramita na Câmara dos Deputados e pode determinar a volta da prisão após condenação em segunda instância.

(Com informações da Jovem Pan)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui