Ministério Público do Maranhão conquista pela terceira vez Prêmio CNPM de Combate à Corrupção

0
199
Luiz Gonzaga Coelho recebendo premiação conquistada pelo Ministério Público do Maranhão

Pelo terceiro ano consecutivo, o Ministério Público do Maranhão foi o vencedor do Prêmio do Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM) na categoria Redução da Corrupção. Pela primeira vez, o MPMA venceu todos os prêmios da categoria, ficando em primeiro lugar com o projeto “A Cidade não pode parar – pela transparência na transição municipal”; em segundo, com o projeto “Cidadão consciente – Gestão Transparente”; e, em terceiro, com o projeto “Administração pública legal”.

Na categoria Comunicação e Relacionamento, o segundo lugar ficou com o projeto “Nas redes sociais diga o que pensa, sem ofensas”. A entrega do Prêmio CNMP 2019 aconteceu na manhã desta quinta-feira, 22, durante a solenidade de abertura do 10° Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público, em Brasília.

Ao receber as premiações, o procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, ressaltou a importância do momento para a instituição. “Somos tricampeões na Redução da Corrupção e este ano levamos todos os prêmios da categoria, além de um prêmio na categoria Comunicação e Relacionamento. Um feito inédito para a instituição, resultado de um trabalho em equipe, compromissado com os resultados”, afirmou.

“Minha palavra hoje é de gratidão. Agradeço a todos os membros, servidores e parceiros do Ministério Público do Maranhão. Não trabalhamos isolados, não conseguiríamos tantos resultados positivos sem o compromisso de todos.” Luiz Gonzaga também frisou as parcerias institucionais. “O trabalho em parceria tem sido a marca dessa gestão. A Rede de Controle do Maranhão é uma das mais fortes do Brasil e vem prestando um relevante serviço à população de nosso estado, principalmente para a parcela que mais precisa”, acrescentou Luiz Gonzaga.

O diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais, Marco Antonio Santos Amorim, relembrou que o Ministério Público do Maranhão nos últimos três anos alcançou o topo dos pódios de premiação graças a um competente trabalho integrado que trouxe grandes resultados para a população do Maranhão e do país “a premiação é apenas a coroação de um trabalho diário feito por todos os membros, servidores e colaboradores do Ministério Público em prol da sociedade maranhense”.

Procurador Luiz Gonzaga Coelho comemora mais uma conquista do MPMA

O ministro do Tribunal de Contas da União Raimundo Carreiro e o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão, Erlanio Xavier (leia blog Conversa Franca), também compareceram à premiação em face da relevante parceira mantida com as referidas instituições para o sucesso dos projetos.

Também participaram da premiação os promotores de justiça Raimundo Nonato Leite Filho (diretor da Secretaria de Planejamento e Gestão), Cláudio Rebêlo Corrêa Alencar (coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa), Nahyma Ribeiro Abas e Alessandro Brandão Marques, idealizadores dos projetos premiados.

Os projetos

  • O projeto A Cidade não pode parar – pela transparência na transição municipal foi desenvolvido para evitar o desmonte da administração pública ao final das eleições municipais e no período de mudança da gestão municipal, garantindo a correta destinação das verbas depositadas nas contas públicas ao final da gestão e a transparência dos atos. Os resultados incluem o bloqueio de mais de R$ 27 milhões, aprovação da PEC da Transparência e mais 25 projetos de leis municipais versando sobre transparência na transição municipal. Além disso, obteve adesão de 70% dos municípios e a decisão do Tribunal de Contas da União proibindo a União de antecipar os repasses dos valores da repatriação, preservando o patrimônio público para as gestões que estavam iniciando.
  • Vencedor do 2° lugar na categoria Redução da Corrupção, a campanha Cidadão Consciente – Gestão Transparente foi desenvolvida pelo Núcleo Regional de Atuação Especializada da Probidade Administrativa e Combate à Corrupção (Naepac) em parceria com a Coordenadoria de Modernização e Tecnologia da Informação do MPMA. Visando a identificar e combater as situações de acúmulo ilegais de cargos públicos e de funcionários fantasmas, foi realizado o cruzamento de dados dos servidores de todos os municípios maranhenses. Foram identificados mais de 20 mil casos de acúmulos indevidos, uma economia projetada de R$ 5 milhões em Imperatriz e de aproximadamente R$ 300 milhões em todo o Estado, além da realização das audiências públicas. Durante os Encontros Regionais de Gestão Estratégica, edição 2019, o projeto foi levado a todas as regiões, com a participação de gestores, vereadores e da sociedade em geral.
  • Coordenado pelo Centro de Apoio Operacional de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa (Caop-Proad), o projeto Administração Pública Legal mobilizou membros do MPMA para combater a corrupção e responsabilizar os gestores ímprobos. Além disso, englobou os programas Câmara em Dia – que firmou 88 Termos de Ajustamento de Conduta – e um trabalho que analisa os portais da transparência das Câmaras e Prefeituras de todo o estado.
  • Comunicação e relacionamento – O projeto “Nas redes sociais diga o que pensa, sem ofensas”, 2° lugar na categoria Comunicação e Relacionamento, discutiu com a sociedade o uso consciente das redes sociais, esclarecendo ao cidadão sobre postagens na internet e suas consequências. Idealizado pela 6ª Promotoria de Justiça Criminal de Imperatriz, o projeto contribuiu para a diminuição do número de processos na comarca  por crimes contra a honra praticados nas redes sociais. Além disso, mais de 2 mil alunos das escolas públicas dos municípios de Imperatriz, Estreito, João Lisboa, Amarante e Açailândia participaram das palestras sobre o tema.

Prêmio CNMP – Foi instituído por meio da Resolução n° 94, de 22 de maio de 2013, para dar visibilidade aos projetos do Ministério Público brasileiro que mais se destacaram na concretização dos objetivos do Planejamento Estratégico Nacional do MP.

Integram a Comissão Julgadora os conselheiros do CNMP, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), as associações de classe do MP, as escolas do MP, representantes da comunidade acadêmica, da Câmara dos Deputados, do Ministério dos Direitos Humanos, de organizações dos movimentos sociais, de organizações não governamentais, do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho e da Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui