Ministro Tarcísio de Freitas diz que empresas vão refazer obras de duplicação da BR 135

3
4603

AQUILES EMIR

O Consórcio Serveng/Aterpa vai ter de refazer todo o serviço de pavimentação da duplicação da BR 135, no trecho entre Estiva e Bacabeira, que compreende 26,3 quilômetros. A informação foi dada na tarde desta sexta-feira (08) pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que disse ter ficado envergonhado com o que viu na visita feita à rodovia pela manhã na companhia de deputados e senadores da bancada maranhense no Congresso Nacional.

Segundo Tarcísio de Freitas, não se justifica um investimento de R$ 500 milhões numa obra que num curto espaço de tempo já está com asfalto trincado, com muitos buracos e outros defeitos, sem falar na não conclusão dos serviços de repavimentação do trecho antigo, por isto o governo vai cobrar das empresas os reparos necessários para conclusão do contrato.

Ele disse que no próximo dia 29 haverá uma audiência de conciliação e a expectativa é que o consórcio admita que falhou na execução dos trabalhos, mas caso isto não ocorra haverá judicialização e as duas construtoras podem ser consideradas inidôneas e ficarem impedidas de contratar com o governo.

Tarcísio de Freitas espera que o caso não seja judicializado, mas se isto ocorrer torce para que o Poder Judiciário seja sensível e compreenda a importância da rodovia para a população maranhense, pelo que ela representa tanto para o transporte de carga quanto de passageiros.

Tarcísio de Freitas disse que ficou envergonhado com a qualidade da obra na BR 135

Retomada – O ministro acredita que os trabalhos na BR 135 sejam retomadas logo após o mês de maio, com o fim de temporada chuvosa. Até lá, espera estarem superadas todas as pendências burocráticas. A previsão é que os serviços de duplicação sejam estendidos até Miranda do Norte.

Para que isto ocorrida precisam ser superadas as pendências com o Tribunal de Contas da União (TCU), que mandou suspender as obras porque os projetos de engenharia já estão superados, e com o Ministério do Meio Ambiente sobre as reclamações de quatro comunidades quilombolas, que reclamam indenizações porque a duplicação estaria afetando suas terras.

O ministro comentou também a declaração do presidente Jair Bolsonaro, que nesta quinta-feira (07) anunciou a desativação dos serviços de barreiras eletrônicas nas rodovias federais. Segundo ele, o problema é que o Brasil está gastando mais como esse tipo de monitoramento do que asfaltamento e manutenção de estradas. Segundo ele, haverá câmaras apenas em locais que realmente têm um alto índice de acidentes.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Aproveite Sr. Ministro, e faça uma visita nessa mesma BR 135, em Minas, que liga entroncamento da BR 040 em Curvelo até a Montes Claros. Que está sob concessão da “ECO VIAS” ( ECO 135 ), sendo que era para ser REFORMADA E DUPLICADA. Mal terminaram a reforma, por sinal, mal feita, e já estão finalizando a praça de pedágio. Ou seja, o cidadão de bem, continua sendo lesado, e ninguém faz nada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui