Novo medicamento bloqueia de forma irreversível multiplicação das células de câncer que mais mata: pulmão

0
1382

A Boehringer Ingelheim, uma das principais farmacêuticas do mundo focada em pesquisa para soluções terapêuticas inovadoras, lançou no Brasil o afatinibe (Giotrif®), indicado como primeira linha de tratamento para o câncer de pulmão do tipo não pequenas células (adenocarcinoma), avançado e/ou metastático (quando a célula do câncer já está na corrente sanguínea ou em outros órgãos). O princípio ativo é altamente recomendado para os pacientes que possuem uma mutação no receptor do fator de crescimento epidermóide, que ocorre em 24% dos casos de adenocarcinoma, que ainda não tenham recebido outros tratamentos.

“O afatinibe (Giotrif®) é um tratamento de 2ª geração (ou seja, uma evolução da primeira geração de medicamentos) capaz de impedir que as células cancerígenas continuem se multiplicando. É uma terapia alvo, dirigida à alteração molecular responsável por este tipo de câncer de pulmão. Ou seja, a molécula nunca mais se desliga do receptor que sofre com a mutação, bloqueando assim a multiplicação dessas células”, explica o Dr. Carlos Barrios, oncologista, pesquisador e Diretor do Grupo Latino Americano de Investigação Clínica em Oncologia (Lacog).

Segundo os especialistas, o que diferencia o novo medicamento das terapias disponíveis no mercado é o mecanismo de ação inédito. A chegada do medicamento marca uma esperança para os pacientes que buscam uma nova opção de tratamento. “O afatinibe abre novas perspectivas para pacientes com mutação do gene EGFR, por atuar de forma inédita na inibição da doença. Alguns estudos[4] mostram que a molécula atua com redução de 27% na progressão da doença e aumento de 25% na resposta objetiva do tratamento. A chegada do medicamento traz uma opção sólida para os pacientes que buscam um tratamento com maior eficácia”, diz o Dr. Antonio Carlos Buzaid, oncologista, um dos fundadores do Instituto Vencer o Câncer, diretor geral do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, da Beneficência Portuguesa de São Paulo e membro do Comitê Gestor do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

O lançamento de Giotrif® também marca a entrada da farmacêutica em uma nova área terapêutica. “A Boehringer Ingelheim tem o compromisso de oferecer tratamentos eficazes que possibilitem melhoras tangíveis na saúde e na qualidade de vida dos pacientes. Em 2015, a farmacêutica investiu cerca de 20% de seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento, um valor acima da média do mercado. É uma grande conquista para a empresa poder proporcionar aos pacientes brasileiros uma opção de tratamento com o melhor mecanismo de ação do segmento e com eficácia superior em relação aos tratamentos já existentes.”, explica a Dra. Patrícia Rangel, diretora médica da Boehringer Ingelheim do Brasil.

Resultado de imagem para GIOTRIF®Câncer de pulmão  – Câncer de pulmão é um dos tumores mais incidentes, com 1,6 milhões de casos novos por ano no mundo, (55% em países emergentes)[5]. É a principal causa de mortalidade por câncer, sendo responsável por 18,2% de todas as causas de morte por câncer 5 .

Dos tipos de câncer de pulmão, os principais são o de Pequenas Células (de 10% a 15%) e o de Não Pequenas Células (85% a 90%)[7]. Este grupo mais incidente se divide em:
o Adenocarcinoma: Cerca de 57% dos cânceres de pulmão são adenocarcinomas. Esses tumores começam nas células que revestem os alvéolos e produzem substâncias como muco. O adenocarcinoma é normalmente encontrado nas áreas periféricas do pulmão e tende a crescer mais lentamente do que os outros tipos.

O Carcinoma de Células Escamosas: Corresponde a cerca de 30% dos cânceres de pulmão. Esses tumores começam nessas células, que têm características achatadas, e revestem o interior das vias aéreas nos pulmões. Esse tipo está relacionado com o tabagismo e tende a ser encontrados na região central dos pulmões, perto de um brônquio.
o Carcinoma de Grandes Células: Este tipo de tumor é responsável por 10 a 15% dos cânceres de pulmão. Ele pode aparecer em qualquer parte do pulmão e tende a crescer e se espalhar rapidamente, o que pode tornar o tratamento mais difícil.

Terapia-alvo – Terapia alvo é um novo tipo de tratamento do câncer que visa identificar e atacar especificamente as células cancerígenas e provocar poucos danos às células normais. Cada tipo de terapia alvo funciona de uma maneira diferente, mas todas alteram a forma como uma célula cancerígena cresce, divide-se, repara-se, ou como interage com outras células. Os medicamentos alvo funcionam de forma diferente dos quimioterápicos convencionais e muitas vezes têm efeitos colaterais menos graves[8]. O medicamento que chega ao mercado, GIOTRIF®, tem como alvo o Receptor do Fator de Crescimento Epidérmico (EGFR), que é uma proteína encontrada na superfície das células, que normalmente as ajuda a crescer e se dividir. O medicamento já está disponível em mais de 70 países.

Resultado de imagem para GIOTRIF®Estudos – A aprovação do medicamento foi baseada na apresentação do estudo de fase III Lux- Lung 3[9] realizado com mais de 300 pacientes, que compara a nova molécula com o melhor esquema quimioterápico disponível para o tratamento. O trabalho aponta para um aumento de mais de 12 meses na sobrevida global do paciente com uma alteração genética chamada de deleção no éxon 19 com o medicamento, em comparação à quimioterapia1,2, aumento na sobrevida livre de progressão da doença e maior taxa de resposta. Além disso, os sintomas relacionados ao câncer de pulmão foram controlados de forma superior com afatinibe, que levou a melhor qualidade de vida e menor índice de abandono do tratamento. Além da análise padrão versus quimioterapia, a Boehringer Ingelheim encabeçou um estudo inédito incluindo outra terapia-alvo disponível no mercado. O LUX-Lung 74 teve como objetivo explorar as diferenças entre afatinibe (segunda geração) e gefitinibe (primeira geração) em um contexto de comparação direta. Os dados obtidos comprovam a eficácia da nova molécula com redução de 27% na progressão da doença e aumento de 25% na resposta objetiva. Esses resultados surpreendentes são possíveis por conta do mecanismo de ação inovador de afatinibe, capaz de inibir de forma irreversível1 todos os receptores da família EGFR, impedindo que as células cancerígenas continuem se multiplicando.

Sobre Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células – CPNPC – O estilo de vida está diretamente relacionado ao surgimento do câncer de pulmão. A principal causa é o tabagismo, mas a doença também está relacionada a excesso de radiação, poluição, sedentarismo e até alimentação7.

Os sintomas iniciais do câncer de pulmão são semelhantes a uma gripe, que parece nunca melhorar. Por isso, o diagnóstico muitas vezes é tardio7.

Os sinais e sintomas mais comuns do câncer de pulmão são: tosse, dor no peito, rouquidão, perda de apetite, falta de ar, fadiga, tosse com expectoração mucosa, tosse com expectoração com sangue e infecções respiratórias[10].

Diagnóstico – O diagnóstico do câncer de pulmão é, em geral, feito a partir de exames de imagem e confirmado por meio de uma biopsia do tecido pulmonar. Em caso de resultado positivo para adenocarcinoma, o tipo mais comum de câncer de pulmão, é obrigatória a realização de um exame genético (molecular) para identificação do tipo de mutação presente7.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui