Petrobras vende direitos de exploração de 30 concessões em águas rasas

0
318

A Petrobras começou a etapa de divulgação das oportunidades de desinvestimento referentes à cessão da totalidade de seus direitos de exploração, desenvolvimento e produção em sete conjuntos de campos em águas rasas. Os projetos somam 30 concessões, localizadas nos estados do Ceará, do Rio Grande do Norte, de Sergipe, do Rio de Janeiro e de São Paulo. A parcela da companhia na produção média de petróleo e gás natural desses campos, no primeiro semestre de 2017, atingiu 73 mil barris de óleo equivalente por dia.

Em todas as concessões, a Petrobras é operadora com 100% de participação. A exceção é nos projetos de Pescada e de Arabaiana, nos quais a companhia participa com 65%, em parceria com a empresa Ouro Preto Óleo e Gás, que detém 35%. “A efetiva inclusão das concessões de Pescada e Arabaiana na oportunidade de desinvestimento do Polo Rio Grande do Norte Mar está sujeita ao não exercício de direito de preferência por parte do parceiro”, informou em nota a Petrobras.

Os comunicados, por meio de teasers que contêm as principais informações sobre cada uma das oportunidades, bem como os critérios objetivos para a seleção de potenciais participantes, estão disponíveis no site da Petrobras, por meio do link http://www.investidorpetrobras.com.br/pt/comunicados-e-fatos-relevantes.

Após a divulgação do teaser, segue uma ordem nos comunicados até chegar ao fechamento da operação. A primeira é o início da fase não vinculante, quando for o caso. Depois o início da fase vinculante, seguido da concessão de exclusividade para negociação se houver necessidade, a aprovação da transação pela diretoria executiva e pelo conselho de administração, considerados a alta administração e a assinatura dos contratos, para enfim, ser realizado o fechamento da operação, chamado de closing.

Política de preços – O Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp) da Petrobras concluiu que os ajustes realizados após o anúncio da nova política de preços da empresa “têm sido suficientes” para garantir a aderência dos valores praticados pela estatal às volatilidades dos mercados de derivados e ao câmbio. Além disso, representam uma evolução em relação ao modelo anterior. As reuniões de avaliação do Gemp são realizadas, no mínimo, uma vez por mês.

Esse foi o resultado da primeira reunião de avaliação das mudanças anunciadas ao mercado no dia 30 de junho, que entraram em prática no início de julho. Até ontem (27), a área técnica da Petrobras, conforme delegação divulgada ao mercado, promoveu ajustes acumulados de + 4,7% no diesel e de – 0,6 % na gasolina.

Também ontem, após a reunião, o Gemp decidiu aumentar em 2,2% a gasolina e 1,8% o diesel. Os reajustes entraram em vigor nesta sexta-feira (28). De acordo com a estatal, com os ajustes determinados a partir da avaliação dos integrantes do grupo executivo, a área de marketing e comercialização da Petrobras volta a contar com uma faixa de -7% a + 7% para operar os movimentos de preços necessários ao longo do mês de agosto, conforme tinha sido definido na nova política de preços.

(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui