Popularidade de Temer melhora no Nordeste e entre os mais pobres

0
3055

Os indicadores sobre a popularidade do presidente Michel Temer praticamente não mudaram na comparação com dezembro de 2017, segundo pesquisa CNI/Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada nesta quinta-feira (05). A grande novidade do levantamento é que a avaliação melhorou entre a população nordestina e aqueles que têm menor poder aquisitivo.

O percentual dos que avaliam o governo como ótimo ou bom oscilou de 6% para 5%, o dos que aprovam a maneira de governar do presidente manteve-se em 9% e o dos que confiam no presidente oscilou de 9% para 8%.

Quanto ao percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo oscilou de 74% para 72%, entre dezembro de 2017 e março de 2018. Não obstante, na comparação com setembro de 2017, período de menor popularidade do presidente, o percentual acumula queda de 5 pontos percentuais (de 77% para 72%). A redução foi resultado do aumento dos que avaliam o governo como regular de 16%, em setembro de 2017, para 21%, em março de 2018.

Com relação às nove áreas de atuação do governo, os percentuais também se mantiveram praticamente inalterados, ou seja, nenhum variou acima da margem de erro. Na área da segurança pública, a variação foi mais sensível. O percentual dos que aprovam as ações e políticas do governo oscilou de 11% para 14% e o dos que desaprovam de 86% para 84%.

As notícias sobre corrupção continuam sendo o destaque na memória dos entrevistados. A intervenção federal no Rio de Janeiro na área de segurança pública e a reforma da previdência completam a lista dos temas do noticiário recente mais lembrados pela população.

Popularidade – A popularidade do presidente Temer aumentou entre os residentes da região Nordeste, embora a região continue sendo a que o presidente é pior avaliado.

O percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo caiu 7 pontos percentuais: de 84% para 77%, entre dezembro de 2017 e março de 2018. Em contrapartida o percentual que avalia o governo como regular subiu de 11% para 16%.

A popularidade também aumentou entre a população com menor poder aquisitivo. Entre aqueles que têm renda familiar de até um salário mínimo, o percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo recuou 7 pontos percentuais: de 79% para 72%, entre dezembro de 2017 e março de 2018.

Nesse mesmo grupo, o percentual que avalia o governo como regular subiu de 13% para 18% e o percentual que avalia como ótimo ou bom oscilou de 6% para 7%.

A popularidade é maior entre que têm até a quarta série da educação fundamental, pois 14% confiam no presidente e 83% não confiam. Para a população como um todo, os percentuais são, respectivamente, 8% e 89%.

Com relação à maneira de governar do presidente, o grupo com até a quarta série do fundamental conta com 12% de aprovação e 83% de desaprovação. Para o total dos entrevistados os percentuais são 9% e 87%, respectivamente.

(Agência CNI)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação