Prefeitura inaugura um moderno sistema de fiscalização eletrônica, mas não investe para dar mais segurança no trânsito de São Luís

0
484

AQUILES EMIR

A Prefeitura de São Luís coloca em operação, a partir desta sexta-feira (10), um dos mais sofisticados sistemas de fiscalização eletrônica do país, segundo ela, para garantir “maior segurança a motoristas e pedestres, além de organização e controle do trânsito nas vias da capital maranhense”. A fiscalização passa a valer após um mês de funcionamento experimental, tempo necessário à adaptação da população, porém quem anda pela cidade percebe que, apesar da modernidade na fiscalização, que teve um alto investimento, a administração municipal não cuidou de medidas básicas para disciplinar o trânsito da cidade, como pode ser observado na foto principal, quando uma jovem no bairro do Anil tenta atravessar uma faixa de pedestre, mas os veículos não obedecem porque a pintura sumiu.

No bairro do Renascença, a altura do prédio em que funciona a superintendência do Banco do Nordeste, é praticamente impossível não entrar na faixa de ônibus para fazer o retorno de quadra

Uma das infrações que podem gerar multa de R$ 293,00 e sete pontos na carteira é transitar pelas faixas exclusivas para ônibus, como as existentes nas avenidas Rio Branco, no São Francisco, e Colares Moreira, no Renascença. A exceção é para táxi, ambulâncias e viatura da polícia ou Corpo de Bombeiros.

O problema é que para um motorista fazer um retorno de quadra nesses bairro é praticamente impossível sem adentrar, pelo menos cinquenta metros antes do local da manobra, e fica a dúvida se para esses casos haverá tolerância.

No São Francisco, pedestre atravessa a faixa no mesmo instante em que o sinal abre também para os veículos: perigo dura mais de três anos

No bairro do São Francisco, a altura do templo da Igreja Católica e do Hotel Abbville, há uma situação mais grave e que já dura mais de três anos: depois das mudanças dos locais de retorno de quadra, a SMTT nunca mudou as faixas de pedestres, portanto quando o sinal abre para o veículo, ele é obrigado a parar porque o sinal é verde também para as pessoas atravessarem, colocando em risco a vida de quem transita a pé, principalmente crianças, idosos e portadores de deficiência.

O secretário municipal de Transporte e Trânsito, Canindé Barros, classifica a nova sinalização eletrônica como um avanço. “Nosso objetivo é promover uma cultura de conscientização e educação sobre a importância do trânsito seguro para todos, estimulando o respeito à sinalização e o cumprimento das leis que regem o trânsito”, afirmou, acrescentando, ainda, que a implantação da nova sinalização eletrônica é mais uma ação integrante do projeto de reestruturação e melhoria do sistema de trânsito e transporte da capital.

Ônibus que não trafegava pela sua faixa, tranca automóvel que tenta fazer retorno de quadra no Renascença: quem tem a preferência?

De acordo com a SMTT, os novos fotossensores vão fazer a observação de ultrapassagem da velocidade permitida e de avanço de sinal vermelho em dezenas de pontos dos principais corredores urbanos da cidade. Entre eles estão trechos da Avenida Daniel de La Touche, nas imediações do Colégio Adventista, do Bambuzal e da Avenida Principal do Cohajap; da Avenida Colares Moreira, próximo ao Tropical Shopping e Loja da TAM; da Avenida Castelo Branco, nas imediações da Igreja do São Francisco e do Posto Hélio Viana.

No Outeiro da Cruz, a altura do Conjunto Radional, duas faixas confundem motoristas e pedestres. A mais velha nunca foi removida e está desgastada e a mais nova também já perdeu a tinta

Nesta caso o problema é o motorista adivinhar qual o limite da velocidade, já que não existem placas indicando de quanto deve ser. Para completar, em diversos pontos da cidade os semáforos não acendem, e o motorista só sabe que tem de parar se observar a movimentação dos outros carros, ou seja, é dirigir às cegas.

Na Avenida São Luís Rei de França, os equipamentos estão instalados na altura da Caixa Econômica e da Extrafarma; na Carlos Cunha, próximo ao Fórum de Justiça; na Jerônimo de Albuquerque, nas proximidades da Forquilha, entre outros pontos da cidade, todos eles com fiscalização nos dois sentidos da via. Nesses locais a velocidade permitida é de 60km/h.

Também foi integrada ao sistema de monitoramento do trânsito da capital uma nova barreira eletrônica com fotossensor, na Avenida São Luís Rei França, nas proximidades da Faculdade Pitágoras. A velocidade permitida na área é de 40km/h.

Em frente ao Ceuma do Anil a faixa de pedestre por onde passam milhares de alunos diariamente a tinta desaparece

Para complementar o monitoramento no trânsito, também estão sendo instaladas 32 câmeras de fiscalização para verificação de congestionamentos, colisões e outras ocorrências no trânsito da cidade. Inicialmente serão implantadas 12 câmeras e, nos próximos meses, mais 10 equipamentos farão a fiscalização 24 horas por esse sistema controlado por uma central de monitoramento já implantado na SMTT.

Além de colaborar com trabalho dos agentes no monitoramento e controle do fluxo, as câmeras vão fiscalizar o uso de celular na direção, a formação de fila dupla, avanço de sinal, estacionamento irregular, o não uso do cinto de segurança e outras infrações que forem captadas pelo sistema.

Apesar do alto investimento da Prefeitura para “disciplinar o trânsito”, medidas básicas como falta de pintura ou duplicidade de faixa de pedestre podem ser constatadas em diversos pontos de São Luís.

No bairro do Cohafuma, motorista param no sinal apagado e se orientam pelo tráfego da avenida principal

A sinalização da cidade também recebeu incrementos em outras áreas importantes, como no Centro da capital com o trabalho de promover a revitalização de faixas de pedestres, faixas contínuas, placas e outros itens de sinalizações horizontais e verticais.

Foram recuperadas as faixas de pedestre ao longo da Avenida Beira-Mar, nos trechos em frente ao Viva, à Reffesa e no cruzamento da Ponte São Francisco, bem como em outros locais.