Presidente da Fiema participa de reunião da Associação Nordeste Forte

0
606

O presidente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Edilson Baldez das Neves, participou, na manhã desta terça-feira (20), em Brasília, de mais uma reunião da Associação Nordeste Forte, da qual é vice-presidente e secretário. O grupo reúne os líderes das entidades representativas do setor industrial da região.

A reunião contou com a presença do presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Romildo Carneiro Rolim, que proferiu a palestra “Novas Diretrizes do Banco do Nordeste para 2018”, para os presidentes das Federações das Indústrias dos estados da região nordeste, na sede da CNI, na capital federal.

O palestrante destacou a preocupação básica do banco em executar uma política de desenvolvimento ágil, capaz de contribuir de forma decisiva para a superação dos desafios e para a construção de um padrão de crescimento compatível com os recursos, potencialidades e oportunidades da Região.

Empresariado – Na segunda-feira (19), Edilson Baldez das Neves, foi enfático ao defender o empresário durante seu pronunciamento na abertura do Seminário Mais Desenvolvimento: Mercado Interno, promovido pela Secretaria de Indústria e Comércio, no Golden Shopping Calhau, em São Luís, reunindo a classe empresarial e empreendedora maranhense, na manhã desta segunda (19).

Darci Fontes (diretor comercial da Fonmart), Albertino Leal (superintendente da Fiema), Felipe de Holanda (presidente do IMESC), Cesar Torresini (Aurizona Mineração), Flávio Moura Fé (gerente de relações institucionais da Suzano), Edilson Baldez , Rolf Fuchs (Integratio) e Celso Gonçalo (Conselho Temático de Micro e Pequena Empresa da Fiema)

Baldez ressaltou que os empresários fazem investimentos, criam emprego e renda, diversificam seus produtos, dando enfoque às cadeias produtivas com o objetivo de superar as demandas do mercado.

Como representante do setor industrial, ressaltou a importância de eventos como o Seminário,  que reúne mais de 100 empresas maranhenses apresentando produtos e fazendo negócios, mostrando o potencial do Maranhão para mudar a realidade de que o Estado importa quase tudo do que consome.

Baldez encerrou sua fala conclamando os empresários para somar esforços no sentido de fazer o Estado crescer e receber empresas nacionais ou estrangeiras, para definitivamente contribuir para o novo momento que viverá o Maranhão e colocou o Sistema Fiema -Serviço Social da Indústria (Sesi), O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Instituto Euvaldo Lodi (IEL) – à disposição dos participantes, com suas soluções integradas de serviços e ferramentas de tecnologia e inovação, além de também oferecer a experiência do SEBRAE para a gestão das empresas.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação