Conab estima produção de 150,6 milhões de litros de etanol no Maranhão

0
215

A produção de etanol no Maranhão, este ano, será de 150,651 milhões de litros, 1,8% a mais do que a produção de 2018, que foi de 147,916 milhões, variação que corresponde a uma diferença de 2,735 milhões de litros. Os números são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que prevê, por outro lado, uma queda na produção de açúcar, que será de 19,5 mil toneladas, contra 21,8 mil, do ano passado, o que representa 10,2% a menos, ou seja, -2,2  mil toneladas.

De acordo com a estimativa da Conab, a produção de cana-de-açúcar no estado será de 2,053 milhões de toneladas, 4,5% a mais do que a colheita de 2018, que foi de 1,964 milhão de toneladas. O bom desempenho se dá apesar de uma redução de 3,5% da área plantada. São 34 mil hectares este ano contra 35,5 mil de 2018, porém houve um aumento expressivo de 8,3% na produtividade, que era de 55.692 quilos por hectare e chegou a 60.320, isto é 8,3% a mais.

De acordo com a estimativa, 7,2% da produção de cana, ou seja, 147,6 mil toneladas são destinadas para fabricação de açúcar, enquanto 1.905 milhão são destinadas à fabricação de etanol, que terá 8,327 milhões de litros, serão hidratados, e 11,062, anidro.

Nacional – Este ano, segundo a Conab, o Brasil deverá produzir 30,3 bilhões de litros de etanol da cana-de-açúcar e mais 1,35 bilhão de litros a partir do milho, o que dá um total de 31,6 bilhões de litros. Os dados são do 2º levantamento da Safra de Cana 2019/20, divulgado nesta quinta-feira (22), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Nos subprodutos gerados a partir da cana-de-açúcar, o etanol anidro deve chegar a 10,5 bilhões de litros, ou seja, 12,6% a mais que em 2018/19. Este composto é utilizado na mistura com a gasolina. Já no caso do hidratado, a tendência é uma queda de 14,1%, em relação à safra passada, chegando a 19,8 bilhões de litros.

Com relação à produção de açúcar, esta deverá atingir 31,8 milhões de toneladas este ano, um crescimento de 9,5%. No plantio da cana, o estudo aponta um acréscimo de 0,3% na produção em relação à safra passada, chegando a 622,3 milhões de toneladas. Em compensação, a área colhida está estimada em 8,38 milhões de hectares, uma queda de 2,4%.

Milho – A partir do 1º levantamento da safra 2019/20, divulgado em maio deste ano, a Conab passou a incluir na divulgação as estatísticas totais de etanol, o que engloba também os dados sobre o etanol à base de milho. Isso porque o cereal vem assumindo um papel de relevância crescente na produção do combustível.

A Região que mais se destaca na utilização do cereal como combustível é o Centro-Oeste, com 94,2% da oferta nacional em 2019, ou seja, 1,27 bilhão de litros, um crescimento de 62,4% em relação à safra passada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui