Projeto Balde Cheio capacita nesta quinta-feira produtores rurais no Maranhão

0
278

As unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cocais e Embrapa Pecuária Sudeste realizam, nesta quinta-feira (19), I Dia de Campo Balde Cheio – Foco na gestão da pecuária leiteira, em Cidelândia-MA, na Chácara Santa Maria, de propriedade do empreendedor rural Sérgio Lima Soares. A ação vai envolver os municípios das regiões tocantina e pré-amazônica.

No evento serão apresentados os resultados econômicos e demais práticas de sucesso alcançados em propriedades atendidas pelo projeto em decorrência da adoção da tecnologia Balde Cheio. Serão ainda fornecidas orientações sobre uso intensivo de pastagem, fertilidade do solo, nutrição de gato, dentre outros.

Haverá ainda a palestra magna proferida pelo criador do Balde Cheio, o pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Artur Chinelato. O tema é eficiência na produção leiteira do Maranhão. Segundo o pesquisador, a aplicação da metodologia tem o objetivo de aumentar a produção, a produtividade e a eficiência dos sistemas de produção, visando ao incremento de renda da propriedade, em bases sustentáveis, adotando ferramentas de gerenciamento das propriedades e tecnificação.

Para o pesquisador da Embrapa Cocais Joaquim Costa, o evento é uma oportunidade para que os empreendedores rurais e demais ligados ao setor, possam tirar dúvidas e conhecer boas práticas para que adotem nas propriedades. O principal resultado esperado é a recuperação da autoestima e da dignidade do produtor, bem como a qualidade de vida, permitindo a fixação da família no meio rural. A ação também permite melhoria da qualidade da matéria-prima, segurança alimentar e ganhos de rendimento para demais agentes da cadeia produtiva.

Balde Cheio – é uma metodologia de transferência de tecnologias para capacitação continuada de profissionais da assistência técnica, extensão rural e pecuaristas em técnicas, práticas e processos agrícolas, zootécnicos, gerenciais e ambientais. As tecnologias são adaptadas regionalmente em propriedades, usualmente de base familiar.

O projeto utiliza propriedades leiteiras como “sala de aula prática” com a finalidade de reciclar o conhecimento de todos os envolvidos e, ao mesmo tempo, mostrar como a propriedade se tornou exemplo de desenvolvimento sustentável da atividade leiteira em todos os aspectos: técnico, econômico, social e ambiental.

As propriedades participantes são monitoradas quanto aos impactos ambientais, econômicos e sociais no sistema de produção após a adoção das tecnologias. No Maranhão, o Balde Cheio chegou em 2008.

Tecnologias aplicadas:

Agropecuárias: uso intensivo de pastagens, em sistema de pastejo rotacionado; uso de sistemas de irrigação; sobre-semeadura de aveia ou de azevém em pastagens tropicais durante o período da seca; fornecimento de cana-de-açúcar com ureia como suplementação alimentar no período da seca; controle reprodutivo; controle sanitário no rebanho; uso de técnicas de melhoria do conforto e do bem-estar dos animais.

Ambientais: recuperação e conservação da fertilidade do solo; plantio de árvores para formação ou renovação de matas ciliares; preservação de áreas de proteção permanente; controle de efluentes; ações de melhoria da qualidade da água. Gerenciais: controle zootécnico do rebanho; análise econômica da produção; e acompanhamento contábil das propriedades participantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui