Q´Alegria ameniza sofrimento de crianças e adolescentes em quimioterapia no Aldenora Bello

0
271

O Hospital do Câncer Aldenora Bello inaugurou nesta quarta-feira (31) o espaço Q’Alegria, na sua ala da Quimioterapia Pediátrica, onde semanalmente atende 65 crianças e adolescentes, com uma média, 260 atendimentos mensais. A instalação do espaço foi possível graças ao apoio financeiro do Ministério Público do Trabalho do Maranhão (MPT-MA), da Fundação Antônio Dino e do Shopping da Ilha,por meio da Campanha natal do Bem.

O método é inovador, pois leva entretenimento às crianças e adolescentes durante as sessões de quimioterapia, proporcionando uma melhor qualidade ao tratamento. Durante as sessões, as crianças podem se divertir com jogos eletrônicos, filmes, música, leitura e desenho, sentindo menos desconforto durante o tratamento. “Esse ambiente atende todas as crianças que fazem quimioterapia ambulatorial, ou seja, que vem fazer o tratamento e retornam para casa.

Com essas novas poltronas, equipadas com monitores, videogames, filmes, o sofrimento dessas crianças será amenizado, porque durante toda a infusão da quimioterapia, elas poderão fazer as atividades lúdicas”, explica Valéria Lima, coordenadora do Ambulatório de Quimioterapia do Hospital Aldenora Bello.

O Q’Alegria conta com sete poltronas acopladas aos equipamentos compostos por: suporte frontal de TV para acesso a canais televisivos e uso de jogos eletrônicos; suporte lateral para equipamentos, jogos eletrônicos, controles, fone de ouvido, livros, papéis para desenhos e afins; além de suporte superior de pontos de iluminação em LED, possibilitando o uso de diferentes cores para a cromoterapia.

Para o médico oncologista César Casagrande, os equipamentos servirão para amenizar os efeitos colaterais do tratamento contra o câncer. “O momento da quimioterapia é delicado, porque as crianças sofrem muitos efeitos colaterais como náuseas, vômito, e tudo isso torna esse momento ruim para elas. Esse suporte de diversão traz uma nova visão para esse momento, conforta a criança e faz com que esse momento difícil se torne prazeroso”, afirma.

A presidente da Fundação Antonio Dino, Enide Dino (foto), se emocionou com a realização de mais um projeto. “Hoje para mim é um dia de agradecimento a Deus e a todos os envolvidos nesse projeto. Porque encontramos pessoas capazes de nos ajudar como o MPT, a Casa da Criança, a família Falcão e o Shopping da Ilha. Nós percebemos que isso é um reconhecimento do nosso trabalho, que é digno e honesto. Só tenho a gradecer a todos os profissionais que cuidam dos nossos pacientes, dos voluntários que se doam por essa causa, a toda a comunidade que contribui com a Fundação, e também a toda a imprensa que tem sido parceira na divulgação do nosso trabalho”.

O Q’Alegria foi levado ao Aldenora Bello pela voluntária Iêda Falcão, após conhecer a Casa da Criança, que projetou o espaço lúdico. “Nós fomos a Teresina ver a inauguração desse projeto e nos apaixonamos. Então, apresentamos a ideia para a Fundação Antonio Dino e para o MPT, todos abraçaram a causa e o resultado está aqui. Tivemos um longo caminho, mas com a ajuda do Shopping da Ilha e do MPT, pudemos realizar o sonho de ver o Q’Alegria instalado aqui no Aldenora Bello”, destacou Iêda Falcão.

O espaço foi concebido pelos arquitetos Marcelo Souza Leão & Patricia Chalaça ambos também fundadores do Projeto Casa da Criança, que cederam, sem fins lucrativos, esta metodologia com o objetivo de disseminar esse conceito em território nacional para melhorar o tratamento de quimioterapia das crianças e adolescentes em tratamento do câncer.

“Andando pelo país vimos que o setor de quimioterapia para as crianças precisava de algo a mais, foi quando o Marcelo desenhou esse projeto, o Q’Alegria, testamos e foi um verdadeiro sucesso. Já levamos esse equipamento para oito hospitais no Brasil e já ouvimos vários médicos dizendo que as crianças não queriam fazer o tratamento de quimioterapia, mas, depois do Q’Alegria, elas se sentiram motivadas, por causa da diversão com as atividades lúdicas”, explicou Patrícia Chalaça, presidente da Casa da Criança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui