Técnicos do Rally da Safra avaliam cultivo de soja no Matopiba

0
752

O Rally da Safra, principal expedição técnica privada sobre a safra de grãos no Brasil, inicia, nesta terça-feira (12), visitas às lavouras da região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Os técnicos começam as atividades pela Bahia, em Luis Eduardo Magalhães, sendo que, às 19h, a expedição realiza evento gratuito para produtores rurais no Clube Rio das Pedras.

Na quinta-feira (14), a equipe segue avaliando áreas em Bom Jesus e Uruçuí, no Piauí; Balsas, no Maranhão, e termina a etapa em Palmas, no Tocantins, no domingo (17). Organizada pela Agroconsult, a expedição deve percorrer mais de 100 mil quilômetros neste ano. As áreas avaliadas pelos técnicos correspondem a 95% da produção de soja e 72% de milho no País. A previsão da safra brasileira de soja é de 116,4 milhões de toneladas.

Choveu praticamente em toda a região do Matopiba na segunda quinzena de fevereiro. O volume de chuvas foi irregular, mas bom para as lavouras. “A região precisa de pelo menos mais uma boa chuva para completar o desenvolvimento das áreas tardias”, avalia André Debastiani, coordenador do Rally e sócio analista da Agroconsult.

Segundo o coordenador da expedição, no Sul do Maranhão e no Sul do Piauí, as primeiras áreas semeadas sofreram perdas significativas com dois períodos secos (dezembro e janeiro). Isso afetou cerca de 20% da área nas duas regiões.

“As lavouras semeadas após o período seco têm bom potencial de produtividade, ainda que os resultados possam ficar inferiores aos da safra passada”, destaca Debastiani.

Já no Tocantins, as condições são boas no Norte do estado (com exceção de algumas regiões mais arenosas). A situação no Sul, onde o clima foi mais seco, é pior. Na Bahia, a pequena parcela de soja precoce mostrou perdas devido a um período seco no início do ano. No restante da área, porém, a expectativa continua elevada.

Equipes em campo – Nesta 16ª edição do Rally serão 12 equipes em campo, das quais nove avaliarão as lavouras de soja até o mês de março. Outras três irão a campo entre maio e junho para verificar as áreas de milho segunda safra. O levantamento será feito nos 14 principais estados produtores: Mato Grosso, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí, Tocantins, Rondônia e Pará.

Além das avaliações em campo, a expedição fará dez eventos regionais e encontros com produtores para debater as condições da safra brasileira. A expedição estima percorrer mais de 100 mil quilômetros neste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui