Rodrigo Maia diz que Jair Bolsonaro precisa parar de brincar e buscar soluções para o Brasil

0
283
Presidene Bolsonaro passa bilhete para o Dep. Rodrigo Maia perguntando: Collor é Candidato? Durante evento a PGR. Brasilia, 11-01-2019. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), reagiu a um comentário do presidente Jair Bolsonaro, na tarde desta quarta-feira no Brasil Urgente, da Band, em que atribuiu algumas declarações dele a questões pessoais e emocionais. A insinuação foi feita durante entrevista ao jornalista José Luiz Datena.

“Abalados estão os brasileiros, que estão esperando desde 1º de janeiro que o governo comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, 15 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha da pobreza; a capacidade de investimento no estado brasileiro diminuindo, 60 mil homicídios, e o presidente brincando de presidir o Brasil. Estamos na hora de parar com esse tipo de brincadeira, está na hora de ele sentar na cadeira dele, do Parlamento sentar aqui e em conjunto resolver os problemas do Brasil”, disse Rodrigo Maia.

Na entrevista,  Bolsonaro (PSL) insinuou que o deputado Rodrigo Maia (DEM) estaria irritado por vir enfrentando problemas pessoais. Indagado, se estava se referindo à prisão do ex-ministro e ex-governador Moreira Franco (MDB), sogro do parlamentar, preso semana passada, preferiu não entrar em detalhes. Leia aqui.

Dep. Rodrigo Maia (DEM-RJ) presidente da câmara eleito, concede entrevista
Maia diz que a convocação de Moro deverá ser transformada em convite (foto Michel de Jesus/Agência Câmara)

Convocação – Em relação à convocação do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, aprovada nesta quarta pela Comissão de Legislação Participativa, Maia disse que pretende cancelar a convocação e transformá-la em convite. A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) apresentou recurso ao presidente da Casa, alegando que o colegiado não tem competência para convocar o ministro Moro.

“Minha impressão é que isso será transformado em convite. O ministro Moro não tem negado nenhum convite para debate. Se ele tem vindo, por que a gente vai convocar numa comissão que não é nem a comissão ligada a ele? ”, questionou o presidente.

Pautas bombas – Questionado por jornalistas, Rodrigo Maia negou que a Câmara vá votar projetos com impacto fiscal (as chamadas “pautas bombas”). Segundo ele, todo projeto que gere aumento de despesa só vai ser votado pela Casa após um amplo diálogo com a equipe econômica.

“Tenho minha posição, sou presidente e da Câmara, mas tenho a responsabilidade dessa função e sem nenhuma dúvida vou continuar onde estive, presidindo a Câmara com responsabilidade fiscal e com o meu País”, afirmou Maia.

(Com informações da Agência Câmara)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui