Pedetistas pedem a expulsão de Gil Cutrim por votar pela reforma da Previdência

2
600

AQUILES EMIR

A situação do deputado Gil Cutrim se complicou no PDT depois de ter votado a favor da reforma da Previdência, nesta quarta-feira (10). Ele poderá entrar na lista dos que provavelmente serão expulsos da legenda por não terem seguido as recomendações da direção nacional, que havia fechado questão contra o projeto.

Além de Gil, sete outros deputados pedetistas votaram pela aprovação da reforma. São eles: Alex Santana (BA), Flavio Nogueira (PI), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Silvia Cristina (RO), Subtenente Gonzaga (MG) e Tabata Amaral (SP).

Horas antes do início da votação, o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, postou texto e vídeo no Twitter, no qual pede para os que forem a favor da reforma escolherem seu lado. “Quem quiser o lado dos banqueiros, que vá para o lado de lá. O Trabalhismo Brasileiro, desde Getúlio Vargas, é para defender o trabalhador, o pobre, a classe média. Esta reforma da previdência é nefasta!”.

Já o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, candidato a presidente da Repúblico pelo partido em 2018, foi mais contundente na defesa de punição dos que se rebelaram.

Carlos Luppi e Ciro Gomes defendem expulsão de pedetistas pró reforma

“A tentativa de compra de votos por dinheiro de emendas ou ofertas mentirosas a estados e municípios ronda, neste momento, até os partidos de oposição. Defenderei que o PDT expulse aqueles que votarem contra o povo nesta reforma de previdência elitista”.

Juventude – Minutos depois da votação, como se o texto já estivesse elaborado, aguardando apenas a confirmação do voto, a Juventude Socialista do PDT distribuiu nota em que pede a expulsão de Gil Cutrim:

“Nós da Juventude Socialista do Partido Democrático Trabalhista do estado do Maranhão manifestamos por meio dessa nota o nosso repúdio e indignação com o voto favorável, da Deputado Gil Cutrim (PDT-MA), à PEC 006/2019, conhecida como Reforma da Previdência.

Esse voto configura uma traição não apenas aos princípios do Partido, mas sobretudo ao povo trabalhador brasileiro, que sofrerá em sua carne as consequências desses ataques brutais que atentam contra a dignidade da pessoa humana.

O princípio da Previdência e da Seguridade Social foi preservado até mesmo durante os anos de chumbo inaugurados pela ditadura civil-militar, que foi um golpe não somente contra o Brasil, mas principalmente contra os trabalhistas ilustrados nas figuras de Jango e Brizola.

O apoio a essa reforma envergonha, angustia, decepciona, constrange e revolta a jovem militância do PDT, causando feridas irreversíveis em nossos sonhos e na nossa luta política.

Muitos Confiaram que seus sonhos eram os nossos sonhos para levar o legado de nossos líderes ao Congresso Nacional. Porém, FOMOS TRAÍDOS.

O deputado escolheu o lado daqueles que são contra os trabalhadores, os professores e contra a nossa própria história, ou seja, provou que não honra os princípios, valores e ideias que direcionam a caminhada do nosso partido.

Portanto, por desrespeitar a resolução da última Convenção Nacional do PDT de se votar contra a Reforma da Previdência, exigimos a sua imediata saída do partido com o qual jamais teve compromisso, renunciando às suas bases partidárias e os seus eleitores. Caso contrário, protocularemos o pedido de sua expulsão sumária por infidelidade partidária”.

JUVENTUDE SOCIALISTA DO ESTADO DO MARANHÃO.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui