Postagem homofóbica do Sampaio aquece debate sobre o clássico contra o Moto Club

0
161

AQUILES EMIR

Moto e Sampaio fazem neste sábado (09), a partir das 17h, no Estádio Castelão, o primeiro clássico de 2019 do Campeonato Maranhense, mas o interesse pela partida aumentou depois da polêmica surgida por uma postagem nas redes sociais, considerada de significado homofóbico, na qual o Sampaio substitui o vermelho do rival pela cor rosa  e acrescenta um R no seu nome, para defini-lo como “morto”. Os presidentes de ambos os clubes se posicionaram sobre a polêmica (leia em Conversa Franca).

Apesar de ser uma provocação subjetiva, a cor rosa pode ser facilmente associada a homofobia e até mesmo torcedores do Sampaio Corrêa repudiaram a publicação no instagram do clube. Poucas horas depois, a postagem foi apagada e na contramão do rival, publicou uma arte com o escudo correto do Sampaio Corrêa, mas não se pronunciou sobre o ‘ato falho’.

No que diz respeito ao futebol propriamente dito, o Sampaio precisa vencer, não apenas por estar na vice-liderança, com sete pontos, dois a menos que o rival, mas porque o clube vive uma crise com a torcida pela campanha na Copa do Nordeste e vive sob pressão para a partida. O Moto, que é líder da competição com 100% de aproveitamento, tem nove pontos e quer manter o bom momento.

Sampaio – O Sampaio Corrêa encerrou a preparação nesta sexta-feira (08), no Centro de Treinamento José Carlos Macieira. O técnico Flávio Araújo deixou os jogadores livres para o tradicional “rachão”, seguido de cobranças de falta.

Flávio Araújo diz que já tem o time definido, mas prefere anunciar a escalação minutos antes da partida.

Artilheiro do time na temporada, Maxuell Samurai espera um confronto equilibrado, e quer o Sampaio se impondo para buscar a vitória: “Clássico é um jogo diferente, que sempre tende a ser equilibrado, mas precisamos nos impor e ter atenção total para batalhar por esses três pontos”, afirmou o atacante Tricolor.

Moto – O Moto iniciou a semana de forma intensa. Na terça-feira (05), o técnico Wallace Lemos trabalhou com os reservas, enquanto os atletas que jogaram contra o CRB tiveram uma tarde mais leve visando a regeneração do elenco.

Para Wallace Lemos, as situações trabalhadas são importantes porque são o retrato do jogo real, como foi contra o CRB. “Tivemos várias chances de marcar mais gols em contra-ataques, mas o último passe não saia da forma correta, vamos corrigir e marcar sempre que nos for dado essa oportunidade. Um contra-ataque ganha jogos”, afirmou.

Na história do Superclássico o Moto Club leva uma grande vantagem com 201 vitórias contra 183 do seu adversário.

Demais jogos – No domingo, às 16h30, o São José recebe o Cordino no estádio Serejão, em Rosário, enquanto o Maranhão enfrenta o Santa Quitéria no Castelão, às 17 horas.

O Cordino começou mal a temporada e ainda não somou nenhum ponto, estando na lanterna da competição. São José, com quatro, e Maranhão, com três pontos, jogam para entrar no G4, enquanto o Santa Quitéria ainda busca a primeira vitória, com um ponto.

(Com informações do Sampaio, Moto e Futebol do Interior)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui