Tragédia em Brumadinho tem um saldo de 58 mortos, segundo Corpo de Bombeiros de Minas

0
383

O Corpo de Bombeiros informou na noite deste domingo (27) que 58 pessoas morreram na tragédia de Brumadinho (MG), onde uma barragem de rejeitos de mineração da empresa Vale se rompeu na tarde de sexta-feira (25). Até o momento, 305 pessoas estão desaparecidas e 192 foram resgatadas com vida. Um ônibus foi encontrado nesta noite com corpos. Não se sabe o número de corpos, por isso as equipes de resgate continuarão os trabalhos durante a noite.

O coordenador da Defesa Civil de Minas, tenente-coronel Flávio Godinho, explicou que o número de desaparecidos aumentou, pois mais nomes foram incluídos na lista em relação a que foi divulgada pela manhã.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz dos bombeiros, as equipes elencaram 14 áreas prioritárias de busca, entre elas locais onde estão soterrados uma locomotiva, uma pousada, ônibus e o refeitório da mineradora Vale, onde a maioria dos funcionários estava na hora do rompimento da barragem.

Os bombeiros trabalham com a possibilidade de encontrar sobreviventes. Mas o porta-voz admite que alguns corpos poderão não ser localizados.

As equipes interromperam as buscas durante o dia de hoje, após alerta de que uma segunda barragem, neste caso de água, corria risco de rompimento por causa do aumento do nível. As sirenes foram acionadas de madrugada pela Vale e moradores orientados a deixar suas casas. No meio da tarde, a Defesa Civil descartou o risco e os bombeiros retomaram as buscas.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto reúne-se com diretoria da Agência Nacional de Águas, para discutir as consequencias do rompimento da barragem na região de Brumadinho para a bacia do Paraopeba.Segurança – Após quase quatro horas reunido com técnicos e diretores da Agencia Nacional de Águas (ANA), o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, Disse que já está controlado o nível da barragem 6 que levou autoridades a evacuar localidades próximas depois do rompimento da barragem 1 em Brumadinho. Segundo Canuto foi instalada uma segunda bomba que reforçou o escoamento da água.

“Não houve risco de rompimento mas o aumento de nível da barragem. A situação já está controlada”, garantiu.

Segundo ele, a situação era prevista, mas ocorreu em velocidade maior do esperado depois do comprometimento do dreno da barragem 6. “Como foi comprometido e choveu houve aumento do nível de água. Vamos recuperar o dreno para barragem 6 volte a trabalhar como esperado para que uma chuva e aumento do volume”, disse.

Canuto afirmou que a situação de forma geral está sendo monitorada e afirmou que o alerta não teve relação com alguma evidência de rompimento. “A sirene foi acionada como preocupação”, afirmou.

A reunião – marcada para discutir tanto qualidade da água do Rio Paraopeba quanto previsões para o avanço dos rejeitos, estabilidade da Barragem VI e relatório de Segurança de Barragens 2017 – ainda continua ao longo deste domingo. Não há previsão para um novo comunicado.

A tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), já contabiliza mais de 50 mortos. Quase 200 pessoas foram resgataras desde o acidente na tarde da última sexta-feira (25).

Neste domingo (27) o risco de novo rompimento na região levou a Defesa Civil a evacuar quatro localidades (Parque da Cachoeira, mais próxima à barragem B6; Pires; Centro de Brumadinho; Bairro Novo Progresso), com o deslocamento de 24 mil pessoas, até o momento.

(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui