Ufma realiza oficina para confecção de máscaras para o carnaval

0
1242

Departamento de Assuntos Culturais (Dac/Proexce) da Universidade Federal do Maranhão (Ufma) promove, de 13 a 17 de fevereiro, a oficina de confecção de máscaras de fofão, utilizando a técnica do papel marche, forma tradicional de confeccionar esse adereço no Estado. As aulas são gratuitas e acontecerão das 14h às 17h, na sede provisória do Departamento de Assuntos Culturais/Proexce, na rua Humberto de Campos, 174. Centro, em São Luís (MA).

As inscrições podem ser feitas no site www.cultura.ufma.br. Aberta a 15 pessoas da comunidade, a oficina será ministrada pela artista visual Marlene Barros. “Essa oficina visa manter viva a tradição das máscaras no carnaval maranhense. As peças feitas durante a oficina farão parte da Exposição Ulá, lá, lá!, de 17 a 28 deste mês, na Galeria Antônio Almeida do Departamento de Assuntos Culturais/Proexce”, informa a diretora do DAC, Fernanda Santos Pinheiro. Para participarem da oficina os alunos deverão levar um pincel em largo, tesoura e agulha grossa de mão.

Máscaras de fofão – As máscaras sempre foram usadas em todas as culturas nos rituais satíricos e sagrados. Todos os povos possuem algum tipo de máscara tradicional. É usada pelos índios nos rituais de guerra para lhes dar aspecto feroz e intimidar os inimigos. Na África é usada nos rituais e como elemento de decoração. No teatro grego foram usadas pelos atores no palco, estas máscaras chamavam-se persona, que significa personagem.

Também os egípcios ficaram na história pelas máscaras funerárias dos faraós. Na Veneza do século XVIII tornou-se um hábito todas as pessoas usarem máscaras, que lhes cobrir a metade do rosto.  Ficando com o tempo o encanto das máscaras reduzido seu uso apenas para o Carnaval de Veneza. No mundo moderno as máscaras são sinal de divertimento e são usadas normalmente no carnaval e em festas temáticas.

No carnaval Maranhense a máscara mais tradicional é a do fofão, um dos nossos mais importantes personagens, e se destaca pelas suas características peculiares, como um macacão de chitão florido e cheio de guizos nas pontas e a famosa máscara de aparência assustadora, que guarda muito da história do nosso carnaval, as vezes até assustam, mas logo conquistam foliões de todas as idades. Em uma das mãos carrega uma boneca, que usa para angariar uns trocados e seduzir a criançada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui